0

A qualidade do sono diz muito sobre nossa rotina, nosso estresse e nossa saúde. Por isso, dormir bem é fundamental em qualquer idade. No entanto, à medida que envelhecemos, o sono vai se modificando e, dependendo dos hábitos do cotidiano, ele pode sofrer desajustes.

O investimento no sono do idoso faz parte da manutenção da saúde, pois, na terceira idade, por diversos motivos — mudança de rotina, aposentadoria, uso de medicamentos, diminuição das atividades físicas —, dormir ganha novos contornos. Logo, a atenção com o repouso precisa ser maior.

Se você quer entender melhor sobre essas mudanças, a importância do repouso e como melhorar a qualidade do sono do idoso, basta acompanhar este artigo. Boa leitura!

Como o sono influencia na saúde do idoso?

O tempo ideal de sono altera-se de acordo com cada fase da vida. A infância é a etapa em que mais dormimos — cerca de sete a onze horas. Na fase adulta, o indicado são entre seis e nove horas de sono; já na terceira idade, o tempo diminui — cerca de seis a oito horas de sono.

É comum a queixa de idosos em relação a problemas para dormir, já que, de fato, eles adormecem menos e sentem determinadas dores, as quais podem piorar com o tempo. O público da terceira idade demora mais para pegar no sono e, geralmente, qualquer interrupção atrapalha o repouso.

Além disso, os encurtamentos musculares que ocorrem na região da lombar e da coluna cervical influenciam na qualidade do repouso e podem causar algum desconforto. Sendo assim, é necessário reformular muitas de nossas concepções sobre o assunto.

O comum é pensarmos que o sono é apenas um momento de descanso e de recarregar as energias. Entretanto, ele é fundamental para a manutenção do corpo e da mente, uma vez que regula as funções vitais do organismo.

Quais os benefícios do sono para o idoso?

Como dissemos, o sono na terceira idade tende a se tornar mais leve, por isso, os idosos não dormem mais que oito horas diárias. Essa mudança é natural e faz parte do desenvolvimento do corpo humano.

O sono é o momento de estabilização para os diversos órgãos do nosso corpo, é a hora em que o cérebro humano tem a oportunidade de organizar todas as informações recebidas durante suas atividades físicas e mentais. Os benefícios de dormir com qualidade são diversos:

  • melhora o sistema imunológico — o descanso mantém as células em dia e não deixa o estresse tomar conta de nosso cotidiano;
  • ajuda a controlar a pressão arterial — durante o sono, a frequência cardíaca e a pressão arterial são reduzidas, o que auxilia no restabelecimento do sistema cardíaco;
  • regula a produção de cortisol — tal hormônio, é responsável pela sensação de estresse;
  • ajuda na manutenção da memória — o descanso é essencial para melhorar nossas atividades intelectuais;
  • melhora a coordenação motora — quando não dormimos bem, alguns movimentos, podem ficar comprometidos, devido à fadiga;
  • previne a depressão — o sono é um dos indicadores de que os hormônios produzidos pelo nosso corpo estão em equilíbrio, demostrando que a nossa saúde mental está em dia;
  • aumenta a disposição física — quando estamos descansados, temos energia para gastar e praticar atividades importantes para a manutenção do nosso corpo.

Como o sono do idoso pode alcançar a qualidade?

Um dos principais hormônios responsáveis pela qualidade do sono é a melatonina. Produzida naturalmente pelo corpo por meio da glândula pineal, ela induz ao descanso quando o dia começa a escurecer e atinge o seu nível máximo durante o repouso.

Algo que pode atrapalhar muito a produção desse hormônio são os estímulos luminosos, como o celular, o computador e a televisão. Os idosos costumam ter o nível de melatonina mais baixo, logo, é necessário investir em um ambiente que preze pela qualidade do sono.

A recomendação é estimular a produção de melatonina e outros hormônios que trazem a sensação de bem-estar desde o anoitecer. Veja, a seguir, dicas de como fazer isso!

Adquira o colchão certo

O colchão e o travesseiro são muito significantes na terceira idade. Eles devem ser confortáveis e não deixarem a coluna ou qualquer outra parte corporal desalinhadas. É preciso que o colchão seja adequado ao biotipo do idoso e tenha espaço suficiente para todo o corpo.

As dores causadas pelo desconforto do colchão são facilmente perceptíveis, logo, tendem a aparecer sem demora. Como o corpo do idoso é mais sensível, a recuperação pode levar mais tempo. Sendo assim, é importante contar com um produto adequado para dormir bem.

Cuide da higiene

Muitas pessoas têm o hábito de banhar-se antes de dormir, justamente porque sentem-se melhor. Assim, o corpo fica mais relaxado e a sensação de limpeza é muito agradável. O mesmo acontece com os idosos.

É importante conservar as boas práticas ou incrementá-las. Porém, alguns idosos têm costumes que podem prejudicar o descanso, como o uso do tabaco ao anoitecer — algo, felizmente, raro hoje em dia. Lembre-se de que essa fase da vida requer novos cuidados.

Deixe o quarto escuro

Como mencionamos, a melatonina — principal hormônio responsável pela indução do sono — é produzida ao anoitecer. Quando os focos de luz diminuem, ela começa a agir no corpo e a necessidade de repouso surge.

As interferências causadas pelos eletrônicos não são saudáveis nesse momento. Por isso, desligue a televisão e deixe o ambiente escurecer naturalmente. Com essa prática diária, será possível notar as diferenças na qualidade do sono no decorrer do tempo.

Procure deixar o ambiente silencioso

O silêncio é muito importante para induzir o corpo ao descanso. Afinal, em um ambiente barulhento, não é possível encontrar a paz necessária para um repouso tranquilo. O idoso já não tem mais o sono tão pesado e, devido aos sons, ele fica piora ainda mais durante a noite.

Por sua vez, em um espaço silencioso, as interrupções serão poucas e mesmo que o idoso acorde, ele voltará a dormir com mais facilidade, pois não terá estímulos para manter-se desperto.

Invista em uma alimentação saudável

A alimentação de qualidade é importante em qualquer idade — para os idosos não é diferente. Como o metabolismo do corpo já está mais desacelerado, uma quantidade maior de comida durante a noite prejudica muito o sono. Por isso, evite ingerir alimentos pesados a partir do anoitecer.

O café também deve ser evitado. A cafeína é responsável por produzir substâncias que mantém o cérebro desperto e bloqueiam aquelas que induzem ao sono. Sendo assim, devemos suspendê-lo, se possível, oito horas antes de deitar, conforme orienta o médico Drauzio Varella.

Pratique alguma atividade física

As atividades físicas são responsáveis pela produção de vários hormônios que trazem bem-estar, como serotonina ou endorfina, os quais são essenciais para o metabolismo funcionar de forma regular e auxiliar no controle do cortisol, gerador do estresse.

Além disso, a atividade física evita o sedentarismo e ajuda no bom funcionamento das articulações, dos músculos, do coração, dos ossos e das atividades cerebrais. Mas é importante saber dosar.

Uma leve caminhada, acompanhada de uma conversa, pode ocasionar uma sensação prazerosa para o idoso. Já outros mais ativos preferem ir à academia ou praticar demais atividades, como yoga, pilates, dança ou tai chi chuan.

Como vimos, o sono do idoso é muito importante para a saúde física e mental. Logo, caso seja necessário, devemos procurar o auxílio de um profissional para nos orientar e resolver com praticidade hábitos do dia a dia que interferem na hora de dormir, como a alimentação, a prática de atividades e o uso de medicamentos na dose e no momento certo.

E então, este artigo foi útil e relevante para você? Que tal conferir outro conteúdo agora mesmo? Aproveite a visita ao blog e saiba o que considerar ao escolher um colchão para idoso!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link
WhatsApp Logo