0

A terceira idade é acompanhada por uma série de mudanças no corpo e no cérebro. Isso significa que o idoso passa a ter algumas dificuldades que o impedem de realizar atividades que antes eram corriqueiras. Cabe ainda frisar que, por mais que ele tenha boa saúde e seja ativo em alguns ofícios, é comum que haja redução dos reflexos, da visão, da audição ou do equilíbrio, tornando-o propenso a quedas.

Todos esses fatores são aliados também ao enfraquecimento dos ossos, que é comum durante essa fase da vida, o que, consequentemente, aumenta as chances de fratura.

Inclusive, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 70% dos acidentes de queda que ocorrem com pessoas da terceira idade acontecem dentro de casa. Ou seja, muitas vezes, por mais o idoso tenha cuidados com a saúde, o lugar onde ele vive não é adaptado, tornando-se inseguro para que ele viva com tranquilidade e conforto.

Por esse motivo, a casa para idosos precisa ser adaptada de acordo as necessidades e limitações da pessoa da terceira idade. Muitas vezes, mudanças simples e rápidas já deixam o ambiente funcional e seguro, beneficiando o idoso em diversos aspectos, principalmente em sua rotina diária.

Para que você entenda melhor sobre essas adaptações e os cuidados necessários em relação à casa para o idoso, acompanhe este post!

Principais adaptações

O primeiro passo para garantir a segurança dentro de casa é planejar quais serão as adaptações necessárias em cada cômodo. Nesse caso, vale muito a pena observar o dia a dia do morador da terceira idade, notando em quais espaços ele permanece por mais tempo, quais são as maiores dificuldades que ele apresenta, como caminhar ou enxergar, entre outros pontos que vão contribuir para as mudanças na casa.

Ter todas essas informações anotadas é essencial para que todos os espaços do local, internos e externos, fiquem devidamente seguros e confortáveis de acordo com as necessidades do morador.

Pode ser que haja uma certa resistência por parte do idoso, isso porque modificar o ambiente ao qual ela já está acostumado é uma experiência nova. Por isso, antes de colocar as alterações em prática, converse com todas as pessoas que fazem parte do círculo de convivência do morador e explique que todas as ações são focadas apenas na qualidade de vida de uma pessoa que está na melhor idade.

Abaixo, veja os principais ambientes que precisam ser adaptados e saiba qual é a melhor forma de fazer essas alterações.

Áreas de circulação

Para que o idoso possa transitar sem o risco de cair ou escorregar, principalmente se ele usa bengala ou andador, as áreas de circulação precisam ser espaçosas e livres, facilitando o deslocamento entre os cômodos.

Piso

O mais recomendado é que o piso seja plano, regular e sem desníveis ou degraus. O piso antiderrapante é a melhor opção. Ainda em relação a ele, evite ao máximo deixar tapetes convencionais pela casa, pois eles podem fazer com que o idoso tropece e caia. Uma boa opção de tapete, nesse caso, é o antiderrapante, que desliza menos e evita que os pés fiquem enroscados. Há também outras opções, como fixar os tapetes no chão com o auxílio de fitas adesivas ou instalar faixas antiderrapantes no piso.

Outro ponto de atenção é deixar o caminho livre. Por isso, objetos decorativos que ficam no chão, como estátuas ou vasos de flores, não são aconselhados. Atente também para os fios soltos e aparentes de eletroeletrônicos — estes devem ficar presos nas paredes.

Corredores

Adaptar as áreas de circulação também exige que os corredores sejam acessíveis e bem iluminados. Para isso, vale instalar um corrimão contínuo nas laterais e lâmpadas fluorescentes em todos os cômodos da casa. A dica é contar com o auxílio de cortinas e janelas, para deixar os locais com uma melhor iluminação.

Portas

Lembre-se também de que as portas devem ser largas e fáceis de abrir (mínimo de 80 cm), facilitando a passagem de pessoas por elas. Para melhorar o manuseio, as maçanetas do tipo alavanca são as mais recomendadas.

Tenha em mente também que a casa para idosos não precisa ficar com portas trancadas pelo lado de dentro, pois isso evita que ele fique preso em algum local. E é justamente por essa razão que é de suma importância também ter a cópia de todas as chaves da residência.

A dica para manter todas as portas abertas e sem a necessidade de um aparador é instalar um dispositivo específico para isso. Ele é fixado na porta e na parede, evitando tropeços em objetos que ficam no chão.

Janelas

Assim como as portas, as janelas também precisam de atenção no momento de adaptá-las para a pessoa da terceira idade. Primeiramente, elas devem ter alcance visual e manual, para que seja possível abri-las e fechá-las sempre que o idoso necessitar. Por isso, recomenda-se que cada módulo da janela possa ser manuseado com um único movimento.

Nos banheiros, as janelas precisam ser altas, prevalecendo a segurança e a privacidade do morador.

Sinalização

Em casas com escadas, vale a pena investir em sinalização para indicar o começo e o fim dos degraus. É possível fazer isso com um material de textura diferente do da escada, como fitas adesivas ou lixas. Também, caso algum cômodo da casa esteja em reforma ou com acesso limitado, as sinalizações em cone também podem ser usadas.

Sala

A sala é um ambiente em que os idosos costumam ficar boa parte do tempo, seja para ler um livro, seja para assistir à televisão. Por esse motivo, ela precisa estar segura e confortável. Como citamos, evite deixar tapetes e objetos no chão dentro desse ambiente.

Mobiliário

A atenção vai para os móveis, que devem ser arredondados e fixados ao chão — isso evita que os idosos caiam e se machuquem na quina da mobília. É importante também que, em casos de cadeiras e bancos, estas façam com que os pés fiquem apoiados ao chão e as costas totalmente apoiadas no encosto, diminuindo dores ou mau jeito no corpo.

Estofados

Caso queira, deixe à disposição um apoio para os pés ou para as costas, a fim de proporcionar mais conforto ao idoso quando ele se sentar no sofá ou poltrona. Vale ressaltar que estofados muito macios podem gerar incômodos na musculatura. Se esse for o caso, coloque uma almofada mais densa no assento.

As poltronas com apoio para os braços auxiliam na hora de levantar e sentar, mas lembre-se de nunca deixar mantas ou cobertores sobre elas, pois há o risco de que caiam no chão e causem um acidente.

Controle remoto e telefone

A televisão e os aparelhos de som devem ter o controle remoto preso à parede ou ao móvel. Essa ação previne que o idoso tropece e caia. Além disso, é essencial posicionar o telefone em um local que seja de fácil acesso.

Quarto

Nesse ambiente, a regra é deixar tudo o mais simples possível, assim, poucos objetos significam maior área de circulação — elementos-chave para o conforto e a segurança do idoso.

Cama

A cama deve ter uma altura adequada — se o idoso consegue se sentar sobre ela mantendo os pés no chão com os joelhos flexionados a 90 graus, significa que ela é ideal. Caso contrário, é possível colocar um calço de madeira, deixando a cama um pouco mais alta.

O colchão também merece atenção. Hoje em dia, há muitas opções disponíveis no mercado, algumas até destinadas a problemas de coluna específicos. A nossa dica é optar sempre pelo menos denso, que é mais confortável.

O cobertor deve estar preso entre a cama e o colchão. Evite o uso de muitos travesseiros sobre a cama, apenas um já é o suficiente.

Iluminação

O mais recomendado é deixar a casa para idosos com boa iluminação. No quarto, a dica é que haja um interruptor instalado perto da cama. Também pode-se considerar o uso de luzes de acendimento automático, que ajudam quando o idoso precisa se locomover no meio da noite, por exemplo. Caso não seja possível, deixe uma lanterna perto da cama, que também é muito útil.

Armários

Para guardar as roupas e os objetos pessoais, os armários precisam ser acessíveis, evitando o uso de banquetas. O melhor é que os itens mais usados fiquem dispostos em prateleiras. Os sapatos também devem estar sempre guardados, para que o idoso não tropece.

Banheiros

Quando falamos sobre adaptação de casa para idosos, o banheiro é um ambiente de muita atenção, pois, como fica úmido e escorregadio, é gerador de muitos acidentes. O ideal é optar por um piso antiderrapante. Se isso não for possível, investir em tapetes de borracha que grudam no chão pode ser uma boa alternativa. Em todo caso, não deixe de instalar barras de apoio na região do chuveiro, que tornam o banho mais seguro.

Barras de apoio

As barras de apoio também precisam ser colocadas perto do vaso sanitário, pois facilitam muito a vida do idoso. Lembre-se sempre de que esses instrumentos precisam ser instalados por um profissional. Além disso, jamais instale esse tipo de apoio em armários, pias ou na caixa acoplada ao vaso sanitário, pois essas estruturas não suportam muita força.

Vaso sanitário

Para facilitar o uso do vaso sanitário, ele precisa ter uma altura adequada. Caso seja muito baixo, é possível instalar um sóculo na base da bacia ou até mesmo colocar um elevador de assento, proporcionando a medida adequada.

Acessórios

Os acessórios de banheiro, como o lixo e também o suporte de papel higiênico, devem ficar próximos ao vaso sanitário e a uma distância que permita fácil alcance. Já o acionador de descarga e a torneira podem ser do tipo alavanca ou com mecanismos automáticos, que não exigem que o idoso faça muitos esforços.

Além disso, os demais itens para sanitário, como toalheiros, saboneteiras e cabides, devem ser dispostos dentro da faixa de alcance, sendo confortáveis para a pessoa que os utiliza.

Box

Há instalações que são muito interessantes, como as cadeiras integradas à parede, ideais para idosos cadeirantes. Como o assento é dobrável, a pessoa o desdobra, senta e toma o banho de forma mais tranquila e segura.

Se o box permitir, vale colocar um banquinho para que o idoso possa se apoiar ou sentar depois do banho. Inclusive, a instalação do box não pode ter degraus. Priorize portas amplas, que são mais fáceis de acessar.

Cozinha

Assim como as demais áreas da casa, a cozinha precisa ser bem iluminada. Outro ponto de atenção vai para os armários, que precisam ter altura acessível. É comum que o idoso more há muitos anos no mesmo local e, por isso, resista à troca total dos objetos da cozinha. Nesse caso, a adaptação é fundamental.

Armários

Se não for possível trocá-los, a dica é transferir os itens mais usados para locais de fácil alcance. Se as prateleiras forem muito fundas, deixe os artigos à frente. Essas pequenas mudanças evitam que o idoso fique dependente de outras pessoas, então ele pode alcançar sozinho panelas e pratos.

Nas portas dos armários, você também pode fixar os dispositivos que protegem a quina do móvel, evitando que o idoso se machuque.

Eletrodomésticos

O fogão deve ficar próximo à pia. Essa ação diminui o espaço de deslocamento com objetos quebráveis nas mãos. Além disso, o recomendado é que o fogão seja elétrico, prevenindo acidentes. Se tiver que manter o a gás, lembre-se sempre de fechar o registro do gás e opte por um que tenha acendimento automático e trava de segurança.

Quanto à geladeira, esta deve ser organizada com os alimentos mais consumidos a uma altura mais acessível. Quando for descongelá-la, mantenha o piso da cozinha sempre seco.

Quintal

Como fica exposto à chuva e ao sol, o quintal exige manutenção. No entanto, é possível adaptá-lo para que seja um espaço de lazer e bem-estar para o idoso.

Chão

O piso deve ser preferencialmente antiderrapante, plano e sem rachaduras. Para mantê-lo com melhor aspecto e para preservar sua vida útil, vale a pena instalar toldos em locais descobertos e de maior circulação. Além disso, apesar de ser um local aberto, deve-se evitar deixar vasos de plantas, mangueiras e demais objetos pelo caminho.

Caso queria disponibilizar uma área verde, reserve uma parte do quintal dedicada a isso. Mas lembre-se de que será preciso sempre podar as plantas, evitando que o idoso se machuque ao passar perto delas.

Para evitar os desníveis no chão, a dica é que os ralos estejam instalados fora da área de circulação. Se isso não for possível, certifique-se de que eles estejam no mesmo nível do piso, o que evita tropeços.

Varal

O varal precisa ser instalado a uma altura acessível, pois isso dá mais autonomia ao idoso. Assim, ele não precisa se esticar muito para pendurar as roupas, evitando também tonturas e possíveis desequilíbrios durante essa ação.

Piscina

Se a casa para idosos tem piscina, é necessário que o piso em torno dela não seja escorregadio ou muito abrasivo. Para garantir o acesso, a instalação de degraus, rampas ou equipamentos de transferência é primordial para a segurança.

Além disso, para evitar lesões, tanto as bordas quanto os degraus de acesso precisam ter os acabamentos arredondados. Para facilitar o momento de entrar e sair da piscina, a escada ou a rampa de acesso devem ter corrimãos. Também é recomendado que essas barras de apoio façam parte das bordas internas da piscina, na altura do nível da água.

Outros cuidados na casa para idosos

Ao adaptar a casa para idosos, o chão deve ser sempre antiderrapante ou ter tapetes que realizem essa função. As portas e as janelas de todos os ambientes devem ser acessíveis, e os corredores devem ter barras de apoio. Mas, além desses pontos de atenção em relação à adaptação da residência, há outras mudanças que tornam a vida do idoso ainda melhor, dando a ele autonomia e confiança. Veja quais são:

Decoração

É comum que pessoas mais velhas sejam apegadas a muitos objetos, principalmente de valor sentimental. No entanto, na hora de decorar a casa, é preciso pensar no bem-estar do morador da terceira idade.

Por esse motivo, evite apetrechos desnecessários e que representem obstáculos. Se o idoso gosta de vasos de flores grandes e esculturas, por exemplo, o ideal é que esses itens fiquem do lado externo, em um ambiente separado. Se for o caso, explique a ele que todas essas mudanças estão sendo feitas para que ele viva com mais segurança, comodidade e, principalmente, independência.

Já os objetos pequenos, como peso de porta, tapetes e mantas, podem ser deixados dentro de uma caixa. Assim, o idoso fica mais tranquilo em relação aos seus pertences.

É possível aproveitar as adaptações da casa e pedir ajuda do idoso para comprar quadros, toalhas de mesa e almofadas, por exemplo. Assim, ele não se sente excluído e ainda participa dessa grande ação.

Telefone e interfone

O modelo de telefone instalado na sala pode conter números maiores, que são indicados justamente para pessoas que não enxergam bem. Não se esqueça também de configurar o volume para facilitar a audição e percepção do toque para o idoso.

Se preferir, instale mais de um telefone na casa, pois isso facilita em momentos de emergência. E por falar em emergência, deixe sempre uma anotação com os telefones de emergência e de familiares ao lado do aparelho.

Relógio e calendário

Já os relógios e calendários também podem ser colocados em mais de um cômodo. É preciso que eles tenham números e letras maiores, por isso, prefira modelos em que as cores das letras contrastem com o fundo. Há também relógios com viva-voz, ou seja, sempre que o idoso pressionar o botão, ele ouvirá o dia e a hora exata. Pode parecer algo simples, mas essa ação torna o idoso muito mais independente.

Medicamentos

A próxima dica é manter os medicamentos em um local adequado, mas de fácil visualização, para que o idoso não se esqueça de tomá-los. Você pode dispor os remédios em recipientes com divisões diárias, que facilitam o controle. Porta-remédios desse tipo podem ser encontrados em diversas farmácias.

Ajuda de profissionais

Além de adaptar a casa para deixar os idosos mais seguros e à vontade para que realizem as tarefas que desejam em seu dia a dia, contar com a ajuda de profissionais especializados em cuidar de pessoas da terceira idade também é recomendado. Afinal, em alguns casos, apenas a ajuda dos familiares não é o bastante, pois o idoso precisa de atenção específica e de um acompanhamento médico, garantindo qualidade de vida nessa fase tão importante.

Com esse serviço especializado de home care, os familiares ficam muito menos preocupados, pois sabem que o idoso está sendo cuidado por um profissional altamente capacitado, tendo suas necessidades supridas enquanto todos os envolvidos cuidam dos seus compromissos de rotina.

Quando falamos em adaptar a casa para idosos, é inevitável citarmos o momento em que um bebê nasce. Um recém-nascido precisa de um quarto equipado para atender suas necessidades, não é? E o mesmo ocorre com os idosos, que passam a ter limitações e diferentes prioridades. Em uma fase tão importante da vida, nada melhor do que aproveitá-la com segurança e muito bem-estar.

Muitas vezes, algumas mudanças parecem imperceptíveis, mas fazem a maior diferença para a pessoa da terceira idade, que começa a ficar dependente de outras, mas ainda quer preservar simples tarefas que executa no dia a dia, como atender ao telefone ou apanhar um prato no armário da cozinha.

Portanto, muito mais do que adaptar a casa, a partir do momento em que você fornece ao idoso a liberdade e a independência que ele pode ter, você também está contribuindo para que ele fique muito mais satisfeito, autônomo, confiante e feliz, o que o faz viver muito melhor.

Como foi possível ver, essas adaptações são simples, mas exigem planejamento, pois alterar todos os cômodos de uma residência é um processo que leva tempo. Tenha em mente que todas essas dicas proporcionam uma autoestima melhor e qualidade de vida superior para o idoso, e é por isso que tudo deve ser feito com muito carinho e dedicação.

Você gostou de saber mais sobre as adaptações e cuidados necessários em relação à casa para idosos? Então assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis como este diretamente em seu e-mail!

Escrito por:

Marcus Vinicius Zorub Montanha – Diretor Técnico

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta