Afinal, quando um cuidador de idoso é necessário?

Compartilhe este Post

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Saber quando um cuidador de idoso é necessário e como abordar essa questão é uma tarefa que requer habilidades dos familiares e recursos financeiros para manter essa decisão continuamente.

Isso porque, ao optar por um acompanhamento geriátrico, é fundamental esclarecer aos idosos todas as informações importantes para que a relação seja boa e não se desgaste facilmente entre os envolvidos.

Todavia, é interessante que os familiares e amigos mantenham a independência dos idosos para as tarefas cotidianas conforme as limitações fisiológicas apresentadas e demonstrem paciência e carinho frente aos questionamentos que envolvem o cuidador.

Quer saber quando um cuidador de idosos é necessário? Então, veja as dicas que daremos a seguir e saiba como escolher corretamente!

Quando o idoso coloca a própria segurança em risco

A figura do cuidador é, muitas vezes, vista com receio pelos idosos. Porém, enquanto alguns indivíduos concluem sobre a inutilidade de suas ações, outros se contentam com uma ajuda especializada.

Para atender aos idosos que mais necessitam, é importante apurar algumas variáveis, entre elas a situação em que o idoso coloca sua própria segurança em risco com a possibilidade de causa de acidentes ou outros problemas.

Situações como deixar panelas queimarem no fogão, esquecer a chave no lado de fora da porta, acumular lixo e diminuir drasticamente a higiene pessoal por falta de vigor nos membros inferiores e superiores são questões que podem favorecer um acidente ou uma infecção geriátrica.

Assim como não cuidar das feridas que se desenvolvem e utilizar vestimentas que podem favorecer o aparecimento de assaduras são situações críticas para a saúde do idoso em questão.

Quando o idoso não consegue se alimentar sozinho

Os idosos que moram sozinhos ou aqueles que mantêm vínculo com familiares próximos geograficamente tendem a desenvolver o senso de autossuficiência para a sobrevivência alimentar.

No entanto, quando se percebe que alimentos apodrecem na geladeira, comidas requentadas durante dias consecutivos, quantidade insuficiente de comida ou alimentos nutricionalmente pobres é o momento de intervir nessa situação

Sendo assim, aquele idoso que não consegue se alimentar sozinho ou aqueles que justificam demasiadamente a situação alimentar em que se encontram, devem procurar ajuda médica o mais rápido possível.

Quando ele apresenta perda de memória

Os distúrbios cognitivos são comuns na velhice. Idosos podem começar a se esquecer de coisas corriqueiras do dia a dia e mesmo os indivíduos que são bastante ativos mentalmente também podem ter a capacidade de ler e aprender determinados conhecimentos diminuída.

Todavia, é mais frequente ocorrer perda de memória recente, o que implica em saber o caminho de volta para a casa, lembrar o número do ônibus que precisa tomar para voltar à residência e as habilidades para conduzir veículos.

Os idosos que não se lembram dessas informações não podem viver sozinhos e necessitam da ajuda de outras pessoas. Os cuidadores de idosos, além de realizarem a assistência básica, também auxiliam nesses quesitos.

Quando o idoso está muito debilitado fisicamente

O envelhecimento traz consigo algumas complicações clínicas de doenças crônicas, dificuldade de mobilidade, maior propensão ao desenvolvimento de feridas infectadas e menor poder de recuperação dos tecidos.

Alguns são vítimas do AVC e podem ficar imobilizados na cama. Já outros se declinam com a velhice devido a problemas de artrose ou até mesmo por conta da menopausa que são ocorrências características da falta de hormônios vivenciada nessa fase da vida.

Somados aos problemas emocionais inerentes da idade e dos acontecimentos marcantes como aposentadoria, viuvez, síndrome do ninho vazio, entre outros, esses fatores comprometem significativamente a vitalidade desses indivíduos.

Sendo assim, muitos requerem cuidados médicos diários, além de um acompanhamento para o fortalecimento da interação social e redução dos problemas advindos com a falta de higiene adequada característica dessa idade.

Quando a residência não está adaptada para ele

A residência para os idosos deve ser adaptada para evitar pequenas quedas e prevenir os acidentes domésticos que podem ser fatais para os indivíduos da terceira idade. Contudo, algumas residências não conseguem uma adaptação condizente com esse perfil etário.

Desse modo, se torna interessante contratar os serviços dos cuidadores de idosos para ajudar no deslocamento dos idosos em residências que possuem escadas para acessar os quartos, para diminuir a utilização de utensílios cortantes e aperfeiçoar o fluxo direcional para aqueles pacientes que utilizam cadeira de rodas.

Com a ajuda dos cuidadores, eles terão o suporte para as questões logísticas, para os cuidados de higiene, para diminuir a probabilidade de desenvolvimento de infecções oportunistas, entre outros problemas.

Quando tiver condições financeiras para esse serviço

Saber quando um cuidador de idosos é necessário envolve também condições financeiras, pois o fato de manter um ajudante geriátrico demanda recursos mensais que interferirão no orçamento da casa.

Por esse motivo, é importante avaliar junto à família e amigos os recursos financeiros disponíveis e verificar opções de assistência geriátrica em dias alternados para não sobrecarregar as despesas.

Isso porque existem empresas que elaboram planos de assistência geriátrica conforme a complexidade da demanda e, com isso, oferecem valores acessíveis para manter um cuidador de idosos.

Quando optar pelo cuidador de idosos?

A escolha do cuidador de idosos é baseada na assistência especializada que ele pode oferecer ao paciente e a na tranquilidade que a família terá com esse profissional.

Dessa forma, ao escolher essa forma de cuidado com o paciente idoso, a família deve confiar nesse ajudante, perceber a empatia entre os envolvidos além de notar se o profissional age corretamente frente aos serviços contratados.

Assim sendo, a confiança será mutua, a relação será positiva e a qualidade de vida será melhorada para os idosos que precisam de cuidados diários e não conseguem realizar plenamente as atividades de forma independente.

Como você pode ver, saber quando cuidar de idosos é uma tarefa que exige observação da família, análise dos recursos financeiros e diálogo sincero com os indivíduos da terceira idade. Nesse sentido, cabe apontar as limitações físicas e emocionais do momento, mostrar os benefícios dessa assistência e como um acompanhante melhorará a qualidade de vida.

Por fim, assim que a família obtiver o aval positivo, é fundamental procurar por uma empresa idônea e que tenha boa reputação no mercado para realizar esse serviço da maneira mais profissional possível.

Agora que você já sabe quando um cuidador de idoso é necessário, entre em contato conosco e descubra como poderemos ajudar!

Conte-nos o que achou

Descubra muito mais

Nossa equipe de especialistas em cuidados com idosos prepararam posts com orientações, informações e curiosidades sobre diversos assuntos.

Ligue já e solicite seu orçamento

Temos certeza que podemos lhe ajudar, por gentileza entre em contato.

Possuimos uma ampla experiência com cuidadores de idosos em domicílio. Focada no gerenciamento de profissionais cuidadores e na saúde da pessoa assistida, nos tornamos referência no que fazemos.

Copyright ©2021 – GUARDIOES DE VIDAS ASSITENCIA A SAUDE LTDA – CNPJ: 01.866.035/0001-70
Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Denis Almeida