0

Os idosos têm 5 vezes mais probabilidade de sofrer com problemas de constipação intestinal, também conhecida como prisão de ventre. Isso acontece em decorrência de diversos fatores, como a redução da prática de exercícios, problemas na coluna que causam redução da força abdominal e, até mesmo, o enfraquecimento da musculatura da parede intestinal causado pelo processo de envelhecimento. 

A constipação não está relacionada somente ao tempo que o intestino fica sem funcionar — e isso vale para qualquer idade. Ela diz respeito principalmente ao esforço que é necessário para que ele funcione.

Isso causa um enorme desconforto, além do aumento da produção de gazes e, até mesmo, o maior risco de incidência de doenças como a hemorroida e o câncer colorretal.

Para amenizar ou eliminar as questões relacionadas à prisão de ventre na terceira idade existem alguns cuidados que podem ser adotados. Além de reduzirem o problema da constipação intestinal, a adoção desses hábitos também ajuda a melhorar a qualidade de vida do idoso. Saiba mais a seguir!

Comer os alimentos recomendados

A ingestão de fibra é um dos cuidados mais importantes na prevenção e solução da constipação intestinal, por isso, ela não pode faltar na dieta do idoso. As fibras podem ser encontradas em algumas frutas, legumes, grãos e cereais.

Elas atuam, principalmente, estimulando o crescimento de bactérias boas para o intestino e inibindo a proliferação das que são consideradas ruins para o seu funcionamento. Além disso, as fibras solúveis têm uma elevada capacidade de retenção de água, o que evita o ressecamento.

Mas as fibras não auxiliam somente no funcionamento do intestino. Elas também ajudam a prevenir doenças cardiovasculares por meio do controle do colesterol, ajudam na perda do excesso de peso, controlam a glicemia e fortalecem o sistema imunológico.

Alguns dos principais alimentos que devem ser incluídos na dieta do idoso que sofre de constipação intestinal são:

  • chia;

  • linhaça;

  • semente de abóbora;

  • aveia;

  • mamão;

  • laranja;

  • espinafre.

Fazer caminhadas

A prática de exercícios físicos faz bem a diversos aspectos da saúde, inclusive no auxílio do bom funcionamento do intestino. Em pacientes acamados ou em cadeira de rodas, não é possível manter esse hábito. Nesses casos, é essencial que ele seja observado para que os procedimentos adequados sejam aplicados caso a constipação intestinal persista por muito tempo.

Para os indivíduos da terceira idade que não tem limitações motoras, o ideal é que se caminhe pelo menos por meia hora, todos os dias. A manutenção desse costume é fundamental para estimular o funcionamento normal do intestino, além de ajudar em outras questões, como a circulação sanguínea.

Ingerir líquidos regularmente

Outro ponto muito importante para o correto funcionamento intestinal é a ingestão regular de líquidos, especialmente a água. Em alguns casos, quando existem quadros como o Alzheimer ou a demência senil, é comum que o idoso não se lembre de beber água, por isso, é muito importante que o cuidador de idosos ofereça o líquido constantemente.

O indicado é que o idoso consuma, em média, de 1,5 a 2 litros de água diariamente. Quando não existem problemas cognitivos que o impeça de fazer isso sozinho, é muito importante conscientiza-lo dessa necessidade.

Procurar ajuda médica

Existem casos mais sérios de constipação em que se deve buscar o auxílio de um gastroenterologista capaz de avaliar o uso de um laxante ou, até mesmo, da fisioterapia pélvica.

Ainda assim, é bom deixar claro que os demais cuidados não devem ser dispensados. Ao contrário, devem ser mantidos com até mais seriedade, pois trata-se de um caso mais grave de constipação no qual todo cuidado é essencial.

Contar com a ajuda de um cuidador

O dia a dia de um idoso requer diversos cuidados que não estão relacionados somente a constipação intestinal. Por isso, a presença de um profissional capacitado para acompanhá-lo nessa rotina é fundamental.

É nesse contexto que se insere o cuidador de idosos. Esse profissional é treinado com técnicas que auxiliam na melhora da qualidade de vida das pessoas da terceira idade, que vão desde os cuidados com a higiene pessoal do idoso, até a correta administração de medicações e acompanhamento às consultas médicas.

Desse modo, os cuidados para que o idoso não sofra com as consequências da constipação intestinal fazem parte da rotina do cuidador de idosos e fazem toda a diferença. Entre as suas tarefas, estariam: oferecer líquidos, garantir a ingestão dos alimentos necessários, estimular e o acompanhar em suas caminhadas e observar a frequência de evacuações e identificar a ocorrência de uma prisão de ventre.

Vale destacar que a escolha adequada desse profissional deve obedecer a alguns critérios importantes para que a relação entre ele e o idoso funcione adequadamente. Veja alguns deles a seguir:

  • formação acadêmica: existem cursos de especialização totalmente focados no treinamento de profissionais para essa atividade;

  • experiência profissional: é necessário avaliar se o profissional saberá o que fazer em situações inesperadas e a experiência com outros pacientes ajuda nesse ponto;

  • referência pessoais: converse com antigos empregadores do profissional e entenda como era sua conduta em empregos anteriores;

  • apresentação pessoal: é preciso levar em conta o modo como o profissional cuida da própria aparência e higiene, afinal, ele deverá cuidar disso no idoso;

  • expectativas profissionais: a criação de laços como o cuidador é comum e substituí-lo com frequência pode ser prejudicial para a saúde emocional do idoso. Então, entenda quais as intenções do cuidador para o futuro a médio prazo;

  • afinidade com o idoso: o aspecto mais importante dessa escolha é a aceitação do profissional pelo idoso e a existência de afinidade entre eles, afinal, eles passarão muito tempo juntos e o convívio deve ser agradável para evitar o stress de ambos;

  • equilíbrio emocional: o cuidador de idosos precisa ter muito equilíbrio, saber ouvir e compreender, praticar a empatia e ter capacidade de observação.

Como você pode ver, a constipação intestinal em idosos é bem mais comum do que em pessoas de outras idades, principalmente por causa das mudanças ocorridas no seu organismo em função do processo de envelhecimento. Esse mau pode trazer consequências bem desagradáveis, porém, com alguns cuidados ele pode ser evitado.

Agora que você já sabe como cuidar da constipação intestinal em idosos, entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo nesse processo!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link
WhatsApp Logo