0

Manter o bom funcionamento da memória é uma questão delicada para muitos idosos. A solução pode vir pela ginástica cerebral, uma forma de melhorar a concentração, a criatividade e a tomada de decisão, por meio de atividades simples.

Neste post, você vai ver o que é essa prática, qual a sua importância na terceira idade, além de algumas dicas de exercícios para trabalhar a capacidade cognitiva dos idosos. Preparado? Então, vamos lá!

O que é a ginástica cerebral?

A ginástica cerebral é uma forma de estimular os neurônios e desenvolver as habilidades do cérebro com o uso de algumas tarefas específicas. Assim, uma pessoa pode melhorar a memória, o raciocínio lógico, a cognição e ainda driblar os efeitos da terceira idade.

Isso por um efeito chamado neuroplasticidade, mas você sabe o que isso significa? De forma geral, é a capacidade de adaptação do nosso sistema nervoso ao se expor a certos estímulos. O resultado é a recuperação de danos, lesões, traumas ou, simplesmente, o desgaste provocado pela idade.

Os sinais de que o cérebro precisa de mais neuroplasticidade são as falhas de memória, distração excessiva, dificuldade de prestar atenção, foco prejudicado e exaustão mental. Todos esses sintomas podem ser reduzidos pelo efeito regenerativo da ginástica cerebral.

Como pode ser praticada na terceira idade?

Existem práticas muito simples que podem servir como estímulos para os idosos. A seguir, listamos algumas.

Leitura

Essa é uma forma comprovada de aumentar as conexões neurais e melhorar o funcionamento do cérebro. A leitura de ficção, por exemplo, faz com que a imaginação reproduza as situações do livro como se fossem vivenciadas, servindo como uma espécie de “treino” para a vida real.

Xadrez

Jogos de tabuleiro desenvolvem a inteligência lógico-matemática e diversas outras funções cerebrais, ajudando até a prevenir doenças como Alzheimer. Por ser um esporte que exige uma boa dose de concentração, o xadrez ainda reduz a falta de foco.

Música

A música é uma forma rica de exercício cerebral que pode ser usada até para fins terapêuticos. Isso porque ajuda na expressão emocional e nas funções cognitivas, tratando alterações comportamentais e humor flutuante.

Neuróbica

Trata-se da prática de inverter alguns movimentos e fazê-los de forma contraintuitiva. Pode ser feita trocando o pulso do relógio, invertendo o lado do mouse, alterando a mão usada para escovar os dentes e assim por diante.

Quebra-cabeça

O quebra-cabeça estimula a memória e a coordenação motora. Por isso, serve como uma excelente ferramenta de desenvolvimento intelectual. Se for feito em grupos, também pode provocar os idosos à interação e ao compartilhamento de experiências.

Como você viu, a ginástica cerebral melhora muito a qualidade de vida na terceira idade. Assim, é importante garantir o apoio familiar e incentivar uma rotina, com prática de exercícios todos os dias. Lembre-se de que também existem vários outros fatores que influenciam no desenvolvimento do cérebro. Sono regular, boa alimentação e atividades físicas são alguns deles.

Quer saber mais sobre como garantir uma vida melhor na terceira idade? Então, conheça os principais pontos do envelhecimento!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link
WhatsApp Logo