0

As causas das quedas dos idosos são diversas e as consequências podem resultar na perda da mobilidade, alterações nas condições emocionais e na rotina da casa, além de afetar significativamente a qualidade de vida.

Por isso, é fundamental identificar os fatores contribuintes desses acidentes, monitorar as pessoas da terceira idade, incluir um cuidador para trabalhar acompanhá-las e buscar alternativas seguras para essa população.

Isso porque a incidência de quedas dos idosos é alarmante. Os números chegaram a mais de 12 mil acidentes no Brasil, apena no ano de 2015, e apontou como principais predisponentes a disfunção visual, incontinência urinária, distúrbios da marcha e equilíbrio, e outros.

Desse modo, é importante entender esses fatores para conseguir preveni-los. Ficou interessado no assunto? Então, veja as informações que daremos a seguir!

Principais causas das quedas dos idosos

Sedentarismo

A ausência da prática de exercícios físicos é um problema significativo para indivíduos de todas as faixas etárias, porém, nos idosos essa situação é mais complexa devido à composição corporal e adaptação fisiológica. Isso porque a fraqueza óssea é uma condição inerente ao envelhecimento, principalmente naqueles idosos que não possuem uma composição nutricional eficaz, o que pode tropeços e quedas com consequências graves.

Além disso, o sedentarismo não fortalece as estruturas musculares e resulta em cansaço, falta de ar, pouca disposição para realizar pequenas atividades físicas, bem como contribui para o aparecimento de doenças cardiovasculares e diabetes. Todavia, a inserção de atividades físicas ou exercícios condicionados precisa ser indicada e supervisionada por um profissional para adequar essa intervenção às demandas fisiológicas e aos interesses pessoais dos idosos.

Uso inapropriado de medicamentos

O uso de medicamentos na velhice deve ser bem monitorado devido aos riscos para essa população. Esse fato é tão importantes que já existe um documento técnico sobre o uso inapropriado de medicamentos por pessoas na terceira idade.

Os motivos para isso são diversos: metabolização mais lenta dos medicamentos, o que implica em maior tempo de ação dos fármacos e causa toxicidade; interações medicamentosas com as medicações em uso; dificuldade de compreensão das orientações farmacêuticas etc.

Os sintomas do uso inapropriado em idosos são tonteira, hipotensão, falta de equilíbrio nas pernas, sedação intensa, insônia, irritabilidade, depressão e sintomas de ansiedade, os quais aumentam a probabilidade da ocorrência de quedas. Por isso, é fundamental relatar ao médico e farmacêutico todos os sintomas observados após a introdução de um medicamento, questionar o uso excessivo e irracional de alguns produtos e analisar a melhora do quadro clínico.

Perda da capacidade cognitiva

A perda da capacidade cognitiva é um problema grave, principalmente para aqueles idosos que moram sozinhos. Isso porque ela costuma ser uma das causas de quedas dos idosos, além de contribuir para eventos fatais. A dificuldade para assimilar novas informações pode impedir que o idoso tenha atenção às novas mudanças na rotina da casa  seu novo quarto, por exemplo  e insista em caminhar por um trajeto com muitos obstáculos.

 A confusão mental pode causar toxicidade de medicamentos se o idoso não se atentar que já administrou o medicamento daquele horário e ingeri-lo novamente, assim como sintomas de hipoglicemia caso deixe de tomá-lo, situação que facilitar a queda dos idosos.

Portanto, é imprescindível analisar o quanto a incapacidade cognitiva está afetando a rotina e a saúde do idoso e verificar a possibilidade de contratar um cuidador ou da internação em instituições interdisciplinares de cuidados geriátricos.

Falta de estrutura residencial

As residências familiares são idealizadas de forma a garantir a segurança dos seus moradores, porém, nenhuma delas atribui uma estrutura diferenciada para atender uma população mais fragilizada, como os idosos. Dessa forma, é responsabilidade da família realizar algumas reformas ou substituição de móveis e adornos para garantir a segurança, que deve ser avaliada em todos os cômodos da casa.

A avaliação começa pela retirada de tapetes soltos na sala, proteção das quinas na cozinha e sala de estar, barras metálicas nos banheiros para facilitar o banho e piso antiderrapante nas escadas. Também é recomendada a retirada de objetos facilmente quebráveis da decoração, a diminuição do uso de luminárias muito baixas, o armazenamento de facas e utensílios perfurocortantes em gavetas altas etc.

Alterações fisiológicas bruscas

A hipotensão postural é um problema comum que afeta indivíduos de todas as faixas etárias, porém, nos idosos é mais crítico. Isso porque, ao se levantar bruscamente, esses indivíduos apresentam tontura, o que gera perda de equilíbrio. A queda da pressão arterial relacionada a movimentos bruscos é outro fator contribuinte para ocorrência de acidentes domésticos.

Dessa forma, é recomendado que pessoas da terceira idade levantem devagar e, se possível, com a ajuda do cuidador para evitar esse tipo de problema. Também é interessante evitar sentar em lugares muito baixos.

Consequências das quedas dos idosos

As consequências das quedas de idosos podem ser temporárias ou contribuir diretamente para imobilidade permanente. Um tropeço pode gerar pequenos sangramentos, que serão tratados com curativos. Entretanto, alguns tombos geram fratura óssea, traumatismo craniano e paralisia das pernas, em consequência da altura e das condições em que ocorreu o acidente. Existem situações que necessitam de internação hospitalar prolongada ou podem até causar a morte do paciente.

Um dos acidentes mais frequentes na velhice é a queda decorrente de um chão escorregadio, falta de apoio em ambientes críticos — como nos banheiros — ou pela presença de animais de estimação e  objetos não visíveis momentaneamente como brinquedos de crianças.

Principais orientações para evitar as quedas

A primeira recomendação a se fazer é levantar todos os possíveis pontos perigosos dentro do ambiente residencial. Considerar todos os cômodos, objetos de decoração, rotina de atividades da casa e dos horários de atendimento dos profissionais clínicos que assistem preventivamente os idosos.

Em seguida, é fundamental orientar todos os envolvidos sobre as novas rotinas e as principais formas de intervenção em caso de acidentes. Exemplo disso é o armazenamento da maleta de primeiros socorros em local acessível. Outro ponto importante é conversar com esses pacientes sobre os riscos de acidentes, mesmo que a capacidade cognitiva seja limitada para sensibilizá-los e facilitar a adoção de algumas medidas preventivas.

As causas de quedas dos idosos são pontos nevrálgicos no ambiente residencial e podem ser evitadas com medidas simples e objetivas. Para tanto é crucial fazer intervenções conforme a chance de ocorrência, conscientizar a família e cuidadores, além de monitorar os pontos mais perigosos da casa.

Agora que já sabe as causa das quedas em idosos, não deixe de ler também 6 dicas para evitar quedas de pessoas idosas!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link