Guia completo sobre terapias para terceira idade

Compartilhe este Post

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Com o avanço da idade, o corpo humano passa por diversas transformações, sendo que a maioria traz limitações importantes para a vida do idoso. Além disso, trata-se de uma fase em que começam a acontecer algumas perdas, como filhos e netos saindo de casa para tocarem a própria vida ou, ainda, o falecimento e doenças de entes queridos em idade avançada.

Portanto, as terapias para terceira idade são fundamentais. Além de terem que lidar com as próprias limitações e até problemas sérios de saúde, as pessoas dessa faixa etária enfrentam situações como a “síndrome do ninho vazio”. Elas precisam de apoio e técnicas capazes de manter suas mentes ocupadas com outras atividades que não sejam os problemas ou as dores do envelhecimento.

Para ajudar você a dar o apoio de que o idoso precisa para lidar com essa fase de forma leve e natural, elaboramos um guia completo. A seguir, reunimos tudo o que é necessário saber sobre as principais terapias para terceira idade.

Você vai entender a importância desse recurso, descobrir as vantagens de fazer terapia na terceira idade, conhecer algumas das principais e, ainda, saber como escolher os melhores terapeutas para ajudar na tarefa de proporcionar mais bem-estar e qualidade de vida aos entes queridos. Vamos conferir?

Entenda a importância das terapias para terceira idade

Envelhecer com saúde, alegria, vitalidade e qualidade de vida deveria ser uma das preocupações dos seres humanos. A busca por recursos que tornem isso possível tem se tornado cada vez maior — principalmente agora, com o aumento da longevidade e da quantidade de idosos no planeta.

Se podemos viver mais do que nossos antepassados, por que não vivermos bem? É nesse contexto que entra a importância da terapia na terceira idade, pois a prática permite que o idoso encontre mais prazer e alegria em viver. Ela também ajuda a lidar com as transformações que estão ocorrendo no corpo de forma natural, sem neuras e complexos desnecessários.

As terapias na terceira idade auxiliam inclusive no convívio social e na busca por atividades que preencham o tempo daqueles que, por exemplo, se aposentaram e chegam até a achar que não têm mais utilidade no mundo. Um idoso que conta com o apoio de algum tipo de terapia jamais passará por isso (ou, se passar, não estará sozinho).

Os inúmeros tipos de terapias recomendados para a terceira idade são capazes de ajudar o idoso a ressignificar perdas e outras situações indesejadas da vida. A pessoa descobrirá, ainda, novas formas de utilizar o corpo e a mente, respeitando suas condições e até retardando o processo de envelhecimento ou a chegada das limitações.

Viu só como as terapias na terceira idade são recursos indispensáveis para tornar um idoso mais saudável e feliz?

Descubra as vantagens das terapias nesse período da vida

Até aqui, vimos inúmeras vantagens das terapias para a terceira idade, mas ainda existem muitas outras. A seguir, explicaremos as principais delas, as quais você precisa levar em consideração na hora de escolher a terapia certa para um idoso. Acompanhe!

Devolve a independência e a autonomia ao idoso

Com a idade, vem a sensação de ficar limitado pelas mudanças ocorridas no corpo. No entanto, as terapias para a terceira idade ajudam o idoso a compreender seus reais limites e a redescobrir habilidades esquecidas ou ignoradas, exploradas nessa fase que pode ser linda se for bem aproveitada.

Desse modo, por meio das terapias, mesmo durante o processo de envelhecimento, a pessoa se torna capaz de recuperar ou manter sua independência e autonomia na maioria das tarefas que precisa realizar. Ela também passa a encarar de modo mais leve e com mais naturalidade aquelas atividades para as quais precisa de ajuda.

Nesse contexto, as terapias para a terceira idade acabam por melhorar a vida não só do indivíduo em processo de envelhecimento, mas daqueles que estão à sua volta, participando de tudo. Isso porque ele receberá a ajuda com gratidão (e não com revolta, como acontece com quem não aceita sua condição).

Melhora a autoestima e a motivação

autoestima do idoso é dos principais pontos trabalhados nas terapias voltadas à terceira idade, já que sua ausência pode acarretar problemas bem mais graves, como a depressão e o isolamento. Trata-se de condições capazes de reduzir até mesmo a imunidade da pessoa, abrindo portas para doenças oportunistas e que trazem complicações.

As terapias para terceira idade estimulam o idoso a:

  • cuidar da aparência;

  • praticar exercícios físicos;

  • participar de atividades em grupo;

  • aumentar o círculo social;

  • adotar uma alimentação mais saudável.

Mantendo os cuidados acima sempre como prioridades, a autoestima do idoso permanecerá alta.

Elimina situações mal resolvidas durante a vida

Os conflitos familiares e financeiros são as principais causas de estresse em idosos, além das doenças comuns durante o processo de envelhecimento. A psicoterapia, entre outros tipos terapias, auxilia na resolução desses conflitos e na aceitação de determinadas condições.

Muitas vezes, o terapeuta os conduz por um processo de ressignificação da memória dos idosos, que ajuda a pessoa a lidar com traumas, perdas e situações mal resolvidas durante a vida. Desse modo, ela se sente mais fortalecida emocionalmente e, em alguns casos, melhor amparada por familiares — que acabam se reaproximando e participando mais de sua rotina.

Resgata o interesse pela vida e pelas pessoas

Se o idoso tem a autoestima e a autonomia baixas, a tendência é que ele perca também o interesse pela vida e pelas pessoas à sua volta. Mas, à medida que começa a participar das terapias para a terceira idade e recuperar esses recursos psicológicos, a pessoa acaba resgatando inclusive sua vontade de viver e conviver com os outros.

Nesse sentido, as terapias devem estimular o convívio e a realização de atividades sociais, como exercícios físicos em grupo, a dança e os jogos de tabuleiro, entre outros tipos de atividades que mesclem lazer, saúde, convivência e entretenimento.

Previne e trata a depressão e a ansiedade

Uma das principais causas da depressão e da ansiedade na fase mais avançada da vida é a solidão gerada pela perda de entes próximos e muito amados. Aliadas a isso, vêm também as transformações físicas (inclusive hormonais), que facilitam ainda mais a instalação de tais condições.

As terapias na terceira idade ajudam a preencher as lacunas deixadas pelo tempo na vida do idoso, além de dar a ele as ferramentas necessárias para evitar esses males, investindo na sua autoestima e realização. Desse modo, doenças como depressão e ansiedade, capazes de debilitar uma pessoa de verdade, são afastadas. É possível reduzir inclusive a carga medicamentosa necessária nessa etapa da vida.

Ajuda no tratamento de patologias naturais da idade

Existem também as patologias naturais da idade, que nem sempre podem ser evitadas. Mas há como retardar quadros como a osteoporose, o Alzheimer, a hipertensão e, até mesmo, a perda de apetite na terceira idade (muitas vezes causada por problemas emocionais ou pela perda dentária). Para lidar com esses problemas relativamente comuns, porém muito limitantes, as terapias são fundamentais não apenas para o idoso, mas para os familiares que lidam diretamente com ele.

Outro ponto de atenção nos dias de hoje está relacionado à incidência da AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) nessa faixa etária. Nos últimos anos, as pessoas com mais de 50 têm sido as mais atingidas pela doença, devido ao aumento da longevidade e da própria qualidade de vida dos idosos, que acabam entrando em novos relacionamentos após a viuvez.

Porém, como cresceram numa época livre da doença, os idosos não estão habituados aos cuidados preventivos nessa retomada da vida amorosa e social. O resultado tem sido desastroso, já que a maioria das contaminações ocorre por meio de relações sexuais sem proteção. Contar com a ajuda de um terapeuta especializado, que oriente a pessoa da maneira correta, é fundamental para evitar que ela seja mais uma vítima da doença.

Conheça as principais terapias indicadas a um idoso

Mas quais são as terapias recomendadas a um idoso, afinal? Confira nos próximos tópicos!

Cromoterapia

As cores nos causam milhões de estímulos sensoriais durante toda a nossa vida — basta observar as formas como são utilizadas na propaganda. Não é diferente durante a terceira idade, por isso elas podem ser grandes aliadas para ajudar a combater problemas de insônia, ansiedade e dores causadas pelos desgastes das articulações.

Para tanto, o cromoterapeuta conta com o auxílio de tons como:

  • o violeta, que contribui com o fortalecimento do sistema imunológico;

  • o azul, que melhora a qualidade do sono e ameniza as dores no corpo;

  • o verde que, equilibra a hipertensão.

Vale lembrar que existem milhões de outros efeitos causados pelas cores. Mostramos apenas alguns exemplos das mais utilizadas na cromoterapia para terceira idade.

Aromaterapia

Camomila, gengibre, lavanda, bergamota, erva-doce, eucalipto e manjerona são alguns dos exemplos de aromas capazes de realizar verdadeiros milagres na vida não somente dos idosos, mas de pessoas a qualquer idade. Esses incríveis aromas têm propriedades que aliviam dores, carência afetiva, ansiedade, depressão e insônia, melhorando inclusive a memória. As essências podem (e devem) ser utilizadas em óleos, cremes, sais de banho, sprays, aromatizadores de ambientes etc.

Florais

Os florais são uma espécie de extensão da aromaterapia. Nesse caso, porém, as substâncias utilizadas são ingeridas em gotinhas (feitas na farmácia de manipulação). Elas são usadas principalmente para o combate a medos, depressão, impaciência, mágoas e tristezas, por meio do estímulo a ferramentas como determinação, paciência e perseverança.

Alguns exemplos de florais muito adotados nas terapias para a terceira idade são:

  • a erva-cidreira, que trata a ansiedade, o nervosismo e a impaciência;

  • a flor de Cristo, que ajuda a eliminar a depressão tanto emocional quanto física;

  • a flor Macacarecuia, que combate as mágoas, as tristezas e o pânico.

Reiki

O Reiki é uma técnica de energização feita com a proximidade das mãos, muito utilizada para auxiliar na recuperação de doenças e no fortalecimento do idoso em situações pré-cirúrgicas. Além disso, a prática pode ser aplicada para aplacar a necessidade extrema de afeto e contato físico, que muitas vezes é rejeitado pelo idoso. Isso porque, com a técnica, o toque não é necessário.

O Reiki também costuma ser adotado como terapia complementar tanto para problemas físicos quanto para aqueles mentais ou emocionais. É possível aplicá-lo mesmo a distância, em pacientes de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), por exemplo.

Shiatsu

O Shiatsu é uma técnica parecida com o Reiki e também trabalha a energia, porém por meio de massagens que se valem da pressão dos dedos em pontos estratégicos do corpo. Nesse sentido, ele se assemelha à acupuntura. A prática ajuda no combate a doenças como artroses, depressão, ansiedade, artrite, dores lombares ou de cabeça e insônias. Além disso, o método promove uma maior disposição tanto para a mente quanto para o corpo dos idosos.

Mindfulness

O mindfulness é um método que estimula a atenção plena do indivíduo, com o objetivo de relaxar sua mente e seu corpo. Por meio de técnicas de respiração e meditação, capazes inclusive de amenizar problemas respiratórios, busca-se a interiorização e a presença em si mesmo.

A atenção plena permite ao idoso esvaziar a mente, sem que ele se apegue ao passado ou projete o futuro, ajudando-o na descoberta de recursos interiores que nem a própria pessoa sabia que tinha. Desse modo, ela sai da terapia para a terceira idade com a mente e o emocional fortalecidos pelo autoconhecimento.

Psicoterapia

A psicoterapia é mais uma alternativa que ajuda no autoconhecimento, porém de forma assistida (por um profissional habilitado). Ela também auxilia o idoso a criar e fortalecer uma nova rotina em sintonia com suas possibilidades físicas e emocionais.

O trabalho do psicoterapeuta vai além de apenas ouvir e interpretar as emoções do paciente. Sua atuação ajuda a pessoa a criar bases psicológicas sólidas e a reorganizar a própria vida, para que seja mais bem aproveitada independentemente das limitações trazidas pela idade. Outro papel importante do psicoterapeuta é dar ao idoso o apoio necessário para que ele aceite e assuma as mudanças no seu próprio corpo e na sua vida.

Terapia em grupo

A terapia em grupo é normalmente moderada por um psicólogo. Após entrevistar o idoso, o profissional o encaixa em grupos com outras três a dez pessoas também da terceira idade, de perfis e necessidades semelhantes. Os participantes de cada grupo expõem suas dores e dificuldades. Logo após, é aberto um espaço para que os demais contem como lidam com o mesmo tipo de problema. A soma de todas as experiências acaba gerando novas soluções e formas de enfrentamento.

Esse trabalho promove, ainda, o convívio social e a sensação de pertencimento, muitas vezes perdidos pelos idosos em virtude de falecimentos e dissoluções no ambiente familiar. Embora a exposição nas terapias em grupo pareça ser excessiva, na prática não é o que acontece, já que todos os temas discutidos durante as sessões são mantidos em sigilo.

Fisioterapia

Corpo e mente precisam estar sãos para que um não adoeça o outro. Um cérebro em perfeito funcionamento acaba sofrendo com as limitações do corpo e vice-versa. Por isso, também é preciso investir em terapias para o corpo (ou seja: a fisioterapia).

Por meio da prática, é possível recuperar a mobilidade, aliviar dores e, até mesmo, retardar o processo de envelhecimento do idoso. A fisioterapia utiliza meios como as massagens, os exercícios localizados, alguns tipos de aparelhos e outros recursos para tratar e prevenir problemas específicos, aumentando o bem-estar e a qualidade de vidas dos idosos.

Hidroterapia

A hidroterapia é uma vertente da fisioterapia. A técnica não tem impacto e é realizada com o paciente imerso em água (aquecida a uma média de 32°C a 34°C). Seus principais objetivos são:

  • proporcionar o relaxamento muscular;

  • aumentar a amplitude de movimento e flexibilidade;

  • melhorar o equilíbrio;

  • fortalecer a resistência dos músculos e cardiovascular;

  • melhorar a circulação sanguínea;

  • regular a pressão arterial.

De bônus, essa terapia ainda promove um maior convívio social e o aumento da autoconfiança entre os idosos.

A prática proporciona também uma série de outros benefícios, além dos já citados, como o alívio de dores. Porém, o seu maior diferencial é o menor esforço necessário durante a realização dos movimentos, em virtude da flutuação e da redução da gravidade. Isso acaba por poupar as articulações, uma vez que os atritos nelas são reduzidos.

Assim como as demais práticas, a hidroterapia não é capaz de evitar o envelhecimento, mas ajuda a tornar o processo mais saudável e menos doloroso.

Terapia ocupacional

A terapia ocupacional (TO) na terceira idade busca lidar com as adaptações necessárias para melhorar a qualidade de vida do idoso que sofre com algum tipo de limitação motora, de mobilidade ou mental decorrente do processo de envelhecimento.

O trabalho é focado no restabelecimento da capacidade de realização das atividades diárias após perdas motoras ou traumas. Ele ajuda no enfrentamento das dificuldades do dia a dia, na recuperação da mobilidade por meio de adaptações ambientais, na prevenção de acidentes ou quedas e, ainda, na educação tanto do cuidador quanto do idoso sobre as questões relacionadas à saúde.

Saiba como escolher o melhor profissional

Com tantas opções de terapias para terceira idade, fica até difícil decidir qual delas deve ser adotada, não acha? Porém, essa escolha se torna simples quando levamos em consideração as necessidades e limitações do idoso.

Para uma pessoa com problemas graves de mobilidade e locomoção, por exemplo, o ideal seria a TO e o Reiki, que podem ser realizados dentro de casa. Já entre aqueles que passam por sofrimentos emocionais, o melhor é optar pela psicoterapia ou terapia em grupo.

Lembre-se, porém, de que um tipo de terapia não exclui os outros. O recomendado é contar com a ajuda do geriatra para indicar qual deles é o mais apropriado. Uma vez definida a terapia a ser feita, chega o momento da escolha do profissional que conduzirá o acompanhamento, seja físico ou emocional. Essa decisão é muito importante e deve ser embasada por critérios bem específicos, que começam com uma simples recomendação de alguém de confiança (mas isso não é o suficiente).

A seguir, veja o que mais você deve levar em conta na hora de escolher um bom terapeuta:

  • a especialidade do profissional, já que existem diferenças consideráveis entre psicólogos, psicanalistas, psicoterapeutas e psiquiatras, por exemplo;

  • local de atendimento (em relação à capacidade de locomoção do paciente);

  • a diferenciação quanto às demais alternativas de profissionais analisadas (nunca escolha sem conhecer ao menos três boas opções);

  • o grau de competência do profissional, considerando inclusive a eficiência do tratamento em pessoas que já têm experiências com ele há mais tempo;

  • a abordagem teórica e a proposta de terapia apresentada, que deve estar em sintonia com a necessidade do idoso;

  • o registro e o histórico do profissional;

  • a acessibilidade ao profissional fora dos horários marcados, além da disponibilidade para os atendimentos;

  • o valor dos honorários (que não deve se tornar um motivo de estresse para o idoso ou seus familiares).

Mesmo levando em consideração todos esses critérios, se o profissional não corresponder às expectativas depois de escolhido ou surgir algum tipo de desconforto com a terapia, não hesite em buscar por outro especialista ou até outra modalidade terapêutica. Lembre-se de que o mais importante é o bem-estar e a qualidade de vida do idoso, portanto a terapia para terceira idade não pode parecer um sacrifício ou castigo.

Como você pôde notar ao longo deste guia, são inúmeras as terapias para terceira idade que existem para ajudar com a saúde e o bem-estar do idoso. Os benefícios incluem a manutenção da autoestima e do convívio social, o alívio de dores e a recuperação da capacidade de realização das atividades diárias.

A responsabilidade sobre a qualidade de vida de um idoso (ainda mais daqueles que amamos muito) não deve se transformar em um fardo. Ao contrário: o processo precisa ser gratificante, como quando vemos a alegria da pessoa em ter seus entes queridos por perto.

Para que isso aconteça de forma natural, é importante ampliar o seu repertório sobre os cuidados com os idosos, a exemplo das terapias para terceira idade que você acabou de ver. Então, assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos que vão ajudá-lo nessa linda missão.

Conte-nos o que achou

Descubra muito mais

Nossa equipe de especialistas em cuidados com idosos prepararam posts com orientações, informações e curiosidades sobre diversos assuntos.

Ligue já e solicite seu orçamento

Temos certeza que podemos lhe ajudar, por gentileza entre em contato.

Possuimos uma ampla experiência com cuidadores de idosos em domicílio. Focada no gerenciamento de profissionais cuidadores e na saúde da pessoa assistida, nos tornamos referência no que fazemos.

Copyright ©2021 – GUARDIOES DE VIDAS ASSITENCIA A SAUDE LTDA – CNPJ: 01.866.035/0001-70
Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Denis Almeida