Descubra o que é catarata e por que é tão recorrente em idosos

Compartilhe este Post

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

As duas causas mais conhecidas de cegueira no mundo são o glaucoma e a catarata. Sendo que a primeira é irreversível, ou seja, não tem cura, e a segunda tem tratamento. A título de curiosidade, as duas outras causas de falta de visão são a degeneração macular e a retinopatia diabética. Mas você sabe o que é catarata?

Ela é um distúrbio causado por uma alteração no cristalino, que é uma lente própria do olho, responsável pelo foco das imagens formadas na retina (membrana ocular). Essa lente é naturalmente translúcida na maioria das pessoas e, assim, permite a passagem de luz, cumprindo a sua função de propiciar clareza naquilo que é visto.

Confira, abaixo, os sintomas e o porquê da recorrência em idosos.

Como detectar os sintomas e agir preventivamente

A catarata pode ser congênita e, então, surgirá logo nos primeiros meses e, até mesmo, nos primeiros dias de vida. Porém, o mais comum é manifestar-se em idosos e, nesse caso, chama-se catarata senil. Além desses motivos, ela também pode surgir devido a outras doenças e à falta de maiores cuidados. 

Para saber se uma pessoa apresenta os sinais dessa patologia, fique atento às mudanças em seus interesses e em sua desenvoltura para caminhar. Por exemplo, a leitura pode ficar ainda mais dificultada, já que uma das características é a visão ficar nublada, podendo ocorrer formação dupla da imagem, tornando-a confusa. Por esses mesmos motivos, o risco de quedas torna-se maior.

A catarata surge progressivamente e não de uma hora para outra. No início, a pessoa pode nem desconfiar do que está acontecendo. Por isso, devemos sempre observar a nós mesmos e aqueles de quem cuidamos, a fim de agirmos antes que a situação se agrave. A prevenção pode ser feita das seguintes formas:

  • realizar consultas oftalmológicas periodicamente;

  • abster-se do cigarro;

  • evitar consumir bebidas alcoólicas;

  • utilizar óculos de sol;

  • ter uma alimentação saudável.

Por que a catarata atinge 70% dos idosos no Brasil

Perda da transparência

Como já mencionado, o cristalino é uma lente transparente, além de flexível. Essas características permitem que a luz atravesse essa lente, alcance a retina e forme a imagem. Porém, com o envelhecimento, a flexibilidade e transparência transformam-se em rigidez — o olho adquire a vista cansada — e em opacidade — que representa o desenvolvimento da catarata.

Superexposição aos raios UV

Com a exposição contínua aos raios ultravioletas (UV), os olhos podem ficar gravemente lesionados, desenvolverem conjuntivite e catarata. O hábito de usar óculos escuros, assim como bonés e chapéus, é extremamente recomendado para a proteção dos olhos. Mesmo no caso de idosos que já têm catarata ou que já fizeram a cirurgia.

É importante ressaltar que outras fontes de radiação, como a que ocorre em sessões de bronzeamento artificial, também podem prejudicar os olhos. Portanto, fazer uso de óculos de sol nesses casos é importante. Além dos raios solares, outros motivos que podem causar lesão nos olhos são os traumas devido a quedas, pancadas ou algum tipo de corte.

Doença chamada glaucoma

O glaucoma — uma outra doença que afeta os olhos — é também responsável por causar a catarata. E, diferentemente dessa última, é incurável. Nem mesmo a cirurgia é capaz de removê-lo, mas é possível frear sua ação com tratamento específico. Daí, mais um importante motivo para ficar atento a qualquer alteração da visão e manter as consultas com o oftalmologista em dia.

Diabete

A diabete é uma doença muito comum e, poucos sabem, também é responsável pela evolução da catarata. Isso porque o efeito do excesso de açúcar no sangue pode levar à retinopatia, que é um problema na retina. E alguns dos sintomas dessa enfermidade são muito semelhantes aos da catarata, como visão turva e o surgimento de manchas no campo visual.

Essa é mais uma doença que possui tratamento, e alguns cuidados ajudam a reverter a ação da retinopatia diabética que, se não tratada a tempo, pode levar à cegueira. Portanto, manter o índice glicêmico dentro dos parâmetros de referência por meio de uma boa alimentação e do uso prescrito de medicamentos é realmente indicado.

Uso prolongado de remédios

O uso contínuo de remédios à base de corticoides tem como consequência a progressão da catarata. Esses medicamentos são utilizados no tratamento de asma, alergias, herpes zoster, dentre outros. E o uso prolongado pode levar à doença porque alguns de seus efeitos colaterais estão ligados diretamente às causas da catarata. São eles:

  • elevação do índice glicêmico;

  • aumento da pressão arterial;

  • glaucoma.

Tratamento, apenas cirúrgico

A boa notícia é que a catarata tem tratamento, podendo-se recuperar quase 100% da visão. Não há tratamento clínico, pois apenas a cirurgia é capaz de solucionar esse problema. A outra boa notícia é que consiste em uma cirurgia simples, com anestesia local e duração entre 15 a 30 minutos.

O procedimento é muito tranquilo. Substitui-se o cristalino — lente natural — por uma lente artificial que pode, inclusive, corrigir problemas oculares que requeiram o uso de óculos. Algumas horas após a operação, o paciente, na grande maioria dos casos, já pode ir para casa.

É recomendado evitar movimentos bruscos por alguns dias e, para uma boa recuperação e o não surgimento de inflamações, o cirurgião prescreverá o uso de colírio e pomada. O restabelecimento total ocorrerá em torno de um mês após o procedimento cirúrgico.

Os especialistas aptos a realizar o diagnóstico de catarata, além do oftalmologista, são o geriatra, o pediatra — nos casos de catarata congênita — e o médico da família. Porém, o tratamento e a cirurgia devem ser realizados exclusivamente pelo cirurgião oftalmologista. Devido à facilidade de todo o procedimento cirúrgico, não há porque postergar muito essa decisão.

Sim, pode haver casos em que o uso de óculos ou lentes de contato será o suficiente. Mas o que é melhor? Bom, agora que você já sabe o que é catarata e como ela se manifesta, evite o avanço da doença informando ao oftalmologista quando perceber os primeiros sintomas.  

Se você gostou deste texto, aproveite para saber mais a respeito de outras doenças na terceira idade!

Conte-nos o que achou

Descubra muito mais

Nossa equipe de especialistas em cuidados com idosos prepararam posts com orientações, informações e curiosidades sobre diversos assuntos.

Ligue já e solicite seu orçamento

Temos certeza que podemos lhe ajudar, por gentileza entre em contato.

Possuimos uma ampla experiência com cuidadores de idosos em domicílio. Focada no gerenciamento de profissionais cuidadores e na saúde da pessoa assistida, nos tornamos referência no que fazemos.

Copyright ©2021 – GUARDIOES DE VIDAS ASSITENCIA A SAUDE LTDA – CNPJ: 01.866.035/0001-70
Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Denis Almeida