0

Nas últimas décadas, temos visto debates e seminários em busca de melhor entendimento sobre essa patologia que vem atingindo os idosos de forma gradativa. Com isso, cresce o interesse da população em saber, entre outras questões, como cuidar de pessoas com Alzheimer.

Estudos recentes mostram que, com o aumento da expectativa de vida, também cresceu o número de diagnósticos da doença. Diante disso, é importante entender mesmo do que se trata, uma vez que a terceira idade é um estágio da vida que todos esperam chegar e muitos já se encontram.

Então, quer aprender como cuidar de pessoas com Alzheimer? É só acompanhar o post até o final. Boa leitura!

O Alzheimer e suas principais características

Essa é a demência mais presente entre o público da terceira idade. É uma patologia considerada degenerativa, ou seja, um quadro irreversível e em constante declínio de várias funções intelectuais, desde as mais simples até as mais complexas. A doença se caracteriza por:

  • perda de memória;
  • pensamento abstrato;
  • desorientação no tempo e no espaço;
  • redução da capacidade de aprendizagem;
  • distúrbios da linguagem e da comunicação;
  • incapacidade de realizar cálculos simples;
  • dificuldade para realizar as tarefas do dia a dia;
  • mudança da personalidade e da capacidade de julgamento.

Trata-se de uma doença sem cura, com algumas possíveis causas, como as lesões cerebrais características desse quadro. As suas principais alterações são as placas senis resultantes do acúmulo de proteína beta-amiloide, produzida anormalmente, e os inúmeros neurofibrilares, oriundos da hiperfosforilação da proteína tau.

Outra modificação identificada é a diminuição da quantidade de células nervosas (neurônios) e da conexão entre elas, as sinapses, reduzindo progressivamente o volume cerebral.

Os prejuízos neuronais não ocorrem de forma homogênea. As áreas mais prejudicadas são os neurônios, ou seja, as células nervosas responsáveis pela memória e por todas as funções executivas que coordenam o planejamento e a execução de funções mais complexas.

Como cuidar de pessoas com Alzheimer

O tratamento para o Alzheimer não busca a cura da doença, e sim retardar a sua progressão. O cuidado passa a ser fundamental, pois o indivíduo precisa de apoio, carinho e de muita atenção. Nesse sentido, a forma de cuidar de pessoas com Alzheimer faz toda a diferença para possibilitar uma melhor qualidade de vida.

Somente quem convive com esse paciente sabe a importância do carinho e atenção dos familiares, não só na relação de cuidado, mas também na maneira de lidar com a doença junto ao médico e outros profissionais de saúde. Confira alguns cuidados básicos:

  • cobre do paciente perguntando “como você não lembra?”;
  • evite a superproteção no sentido de impedir que ele faça qualquer tipo de atividade;
  • estimule a participar de eventos ou programas que ele gostava antes;
  • incentive a prática regular de atividades físicas;
  • cuide bem da alimentação propondo novos cardápios;
  • faça companhia para ele não se sentir solitário;
  • tenha flexibilidade, caso precise fazer alguma mudança; 
  • desligue a TV na hora das refeições e não converse sobre outro assunto ao vestir o doente;
  • realize uma tarefa de cada vez, ajude-o a fazer e não faça por ele;
  • preste atenção ao espaço — tapetes e excesso de móveis atrapalham a passagem e podem causar quedas; 
  • escolha sempre os caminhos mais simples, sem “labirintos”. 

Além desses, há muitos outros cuidados que poderão facilitar a relação do idoso com as outras pessoas, bem como favorecer a sua própria autonomia.

Atitudes que devem ser evitadas

Sem dúvida, você já deve ter ouvido falar que cuidar de pessoas com Alzheimer é um desafio e exige muita paciência e dedicação. Entretanto, é importante reconhecer que as atitudes são decorrentes da doença. Isso ajuda a lidar com situações confusas e evita desentendimentos.

Conheça algumas atitudes que não podem ser tomadas com quem tem Alzheimer:

Nunca discuta. Sempre concorde!

Pacientes com Alzheimer podem ser teimosos, principalmente em casos de alucinações e delírios. Para evitar conflitos e agressividade, não os desaponte. Concorde com o que falam, mesmo que tenha opinião contrária.

Nunca argumente. Use algo para distraí-lo!

Do mesmo jeito, argumentar também não é uma boa ideia, pois pode dificultar a situação. Lembre-se do seu quadro demencial comprometido. Evite aborrecê-lo e direcione o foco para outro assunto.

Nunca o deixe com vergonha. Dê incentivos!

Mesmo tendo atitudes infantis, o paciente com Alzheimer não é criança! Nada de chamar atenção de forma a infantilizá-lo, uma vez que essa atitude pode deixá-lo constrangido, desapontado e até depressivo. Em vez de criticar, incentive-o.

Nunca peça para que se lembre. Ajude a recordar!

O Alzheimer, como já sabe, provoca a perda de memória. Quando o idoso parecer que não se lembra de algo, não insista para que ele lembre. Sem dúvida, isso o deixa bastante triste. O melhor caminho é ajudá-lo oferecendo dicas sobre a memória que está querendo resgatar.

Nunca fale “já te disse”. Repita o quanto for necessário!

Lembre-se: ele às vezes perde a memória. É inevitável que o paciente com Alzheimer faça a mesma pergunta várias vezes. Seja paciente, pois a intolerância piora ainda mais a situação. Repita quantas vezes precisar! Essas atitudes são boas formas de cuidado.

Por fim, saiba que a exaustão e a falta de paciência podem ser sinais de estresse do cuidador. É importante reconhecer os seus limites para não se sobrecarregar. Caso se sinta cansado e pressionado, procure ajuda! Tente compartilhar as suas tristezas e resolver as suas questões para depois dar suporte ao paciente.

Para prosseguir com a sua rotina equilibrada, procure otimizar o seu tempo e priorize um período do dia para cuidar de si mesmo. Busque ajuda de outros profissionais como psicólogo, terapeuta, preparador físico, entre outros.

Chegando ao final deste post, reforçamos que saber como cuidar de pessoas com Alzheimer requer também compreender o que é a patologia, quais as principais características, o que não se deve fazer com quem tem a doença. Enfim, para possibilitar melhor qualidade de vida ao paciente, você como cuidador precisa estar bem preparado e bem informado.

Agora que já sabe como cuidar de pessoas com Alzheimer, recomendamos que leia também nosso outro post que traz tudo o que você precisa saber sobre cuidador de idosos.

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta