0

Se a saúde mental já inspira cuidados na população em geral, nos idosos esse quadro é ainda mais preocupante. Dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) indicam que a incidência de depressão em pessoas com mais de 60 anos é de mais de 10%. Esse percentual sobe ainda mais para aqueles com 85 anos ou mais.

As próprias mudanças ligadas à idade estão relacionadas ao surgimento da depressão, como problemas cardiovasculares, endócrinos e o uso continuado de determinados medicamentos, como anti-hipertensivos e corticosteroides. Além disso, o idoso costuma acumular várias adversidades que afetam a saúde mental, como a perda de entes queridos, o isolamento social e a redução das atividades diárias.

No entanto, felizmente esse não é um quadro inevitável. Veja a seguir quais são as doenças que afetam a saúde mental do idoso e 3 dicas que ajudam a preservá-la.

Quais são os fatores que afetam a saúde mental do idoso?

Como dissemos, a deterioração da saúde mental do idoso pode ser uma consequência tanto de fatores físicos quanto emocionais.

O surgimento de questões que limitam a autonomia, como problemas vasculares, AVCs (acidentes vasculares cerebrais) e doenças crônicas em geral, pode desencadear um quadro depressivo, uma vez que a pessoa passa a se sentir sem perspectivas e muito dependente.

Além disso, o isolamento social e mesmo o distanciamento em relação aos familiares são fatores importantes no surgimento das doenças psicológicas. Entram nesse rol, por exemplo, traumas, processo de luto, estresse e até mesmo maus tratos.

Diante desses fatores, é preciso estar alerta ao aparecimento de sintomas como desânimo excessivo e sinais de demência, como problemas de memória e episódios de “desligamento” da realidade.

O que pode ajudar a preservar a saúde mental do idoso?

A saúde mental do idoso pode ser preservada e inclusive melhorada adotando-se um conceito de envelhecimento ativo, que envolva a melhoria da qualidade de vida do indivíduo. Confira nossas 3 dicas.

1. Uso de tecnologias

A tecnologia pode ser muito benéfica para os idosos e de diversas formas. Quando usada com moderação, é uma maneira de evitar o isolamento social, já que a pessoa pode se comunicar mais facilmente com amigos e familiares.

Além disso, existem jogos que estimulam atividades cerebrais, como aqueles ligados à resolução de problemas de lógica e jogos de memória.

2. Atividades físicas

O idoso pode e deve ser estimulado a praticar atividades físicas, respeitando as suas condições no momento. Caminhada, hidroginástica, pilates e até mesmo musculação ajudam não apenas a manter o corpo mais flexível e forte como também colaboram de maneira efetiva para a saúde mental.

Para isso, é importante contar com o acompanhamento de um profissional de saúde, que saberá indicar quais são as atividades mais adequadas para cada um e qual o ritmo que deve ser colocado.

3. Estudo

Na verdade, nunca deveríamos parar de estudar. Aprender coisas novas é ginástica para o cérebro e isso é especialmente importante para os idosos.

Existem muitos cursos livres e outras atividades que podem ser feitos. Imagine começar a aprender um novo idioma na terceira idade? Além de estimular o cérebro, dá uma perspectiva de objetivo a ser alcançado. Existem também faculdades e cursos totalmente voltados para a terceira idade, com aulas de história, artesanato, arte, música e muito mais.

Agora você já sabe como identificar eventuais problemas e conhece formas de melhorar a saúde mental do idoso. Não deixe de colocá-las em prática para dar mais qualidade de vida a quem você ama!

Gostou das dicas? Então aproveite para ler também nosso guia completo sobre o equilíbrio emocional na terceira idade!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link
WhatsApp Logo