2

Na idade adulta, muitos de nós precisamos encarar uma inversão de papéis quando os pais ficam idosos e passam a necessitar de mais atenção e cuidados especiais. Junto com isso, surgem a resistência e a dificuldade de relacionamento, permeada por um temperamento ranzinza por parte daquele que não aceita muito bem as mudanças trazidas pela idade. Então, surge a questão: como lidar com idosos teimosos?

Em algumas situações, cuidar dos pais na terceira idade pode parecer um fardo e, para os idosos, acaba sendo um grande constrangimento depender dos filhos para a realização de atividades simples e cotidianas. O segredo para driblar essas dificuldades está no cultivo da paciência, compreensão e bom humor, para que os diálogos sejam calmos, sem imposições e discussões.

Para facilitar essa relação entre filhos e pais idosos, trazemos hoje algumas dicas práticas, especialmente voltadas a técnicas de comunicação e tipo de linguagem que devem ser utilizadas. Confira!

Busque conhecer a causa do temperamento

A teimosia das pessoas idosas costuma se manifestar principalmente nesses tipos de situações:

  • recusando a procura por atendimento médico quando necessário e as prescrições de medicamentos;
  • recusando o conselho de seguir dietas e evitar determinados alimentos;
  • recusando pedir ajuda em tarefas que podem colocar sua segurança em risco;
  • não levando em conta a opinião de outras pessoas;
  • resistindo aos cuidados com a higiene e o banho.

Para conseguir lidar com esse tipo de comportamento, é importante procurar entender o que provoca tal resistência e irritação no idoso.

O primeiro motivo pode estar ligado à dificuldade pessoal de aceitar o processo de envelhecimento. Com as mudanças que a idade acarreta no organismo, por vezes, a pessoa mais velha precisa conviver com dores físicas e limitações em atividades com as quais tinha bastante facilidade, o que pode afetar seu humor.

Se o idoso foi uma pessoa muito ativa, profissionalmente e nas decisões familiares, a perda de autonomia e independência pode ser muito difícil e dolorosa. Se ele sempre esteve na liderança da família, é natural que seja complicado lidar com a inversão de papéis, vendo um filho assumindo responsabilidades que eram suas.

Vale destacar que alguns medicamentos também trazem em seus efeitos colaterais alterações negativas no humor, o que pode tornar o idoso mais ranzinza e teimoso.

Respeite a opinião

Um detalhe essencial para uma comunicação eficaz com um idoso é nunca se esquecer que ele é um adulto e deve ser tratado como tal. Se o idoso é lúcido, é preciso ter em mente que, por mais que ele precise de atenção e cuidados, também pode opinar a respeito de suas necessidades e vontades, que precisam ser respeitadas.

É normal que a pessoa que cuida de alguém mais velho se sinta no direito de tomar decisões e cuidar da casa e das coisas como lhe convém, mas o idoso deve se sentir incluído e nunca ridicularizado por suas limitações impostas pela idade.

Além de carinho e atenção, a pessoa mais velha deseja ser tratada com consideração e respeito. Quando ela não está suprida dessas necessidades emocionais, o lado ranzinza se acentua e a teimosia surge, sendo que, em alguns casos, pode acabar se transformando em um estado depressivo.

Faça perguntas

A diferença de idade entre o idoso e seu cuidador pode acarretar problemas na comunicação, já que é bem provável que existam divergências quanto à opiniões e pontos de vista sobre diversos assuntos. Uma forma de lidar com isso é mudar a perspectiva e fazer perguntas, para chegar a informações que permitam compreender melhor o ponto de vista do idoso.

Além disso, fazendo perguntas fica mais fácil entender como a pessoa mais velha se sente em determinadas situações, evitando assim a perda de paciência e a imposição de opiniões e ordens que só vão causar mais irritabilidade e teimosia.

Ao perguntar como está sendo o dia do idoso, você pode dar a ele a oportunidade de desabafar sobre algo que está incomodando e buscar soluções para que seu humor não piore e a convivência seja mais complicada.

Argumente e apresente provas

Em alguns casos, especialmente no que diz respeito à preservação da saúde e segurança da pessoa mais velha, é necessário mostrar que, ao discordar da opinião do idoso, você não está apenas criticando todas as suas escolhas, mas se preocupando com seu bem-estar.

Para isso, é fundamental argumentar demonstrando carinho e apresentar provas que vão convencê-lo de que o sugerido por você é a melhor opção para determinada situação. Respalde seus argumentos com relatórios médicos e matérias sobre o assunto em questão.

Por exemplo, se a pessoa idosa insiste que pode dirigir sozinha e você percebe que suas habilidades motoras ou cognitivas não confirmam o fato, mostre estatísticas da quantidade de acidentes de trânsito que envolvem pessoas de idade avançada.

Tenha empatia

Tentar se colocar no lugar da outra pessoa é um exercício válido em qualquer tipo de relacionamento, e com os idosos não deve ser diferente. Para tentar entender por que o idoso está teimando em fazer ou deixar de fazer algo, pense em como você agiria se estivesse na mesma situação que ele e descubra o que faria com que você se sentisse melhor.

Seja um ouvinte ativo do que a pessoa mais velha diz, concentrando sua atenção, fazendo contato visual e demonstrando que valoriza o que ela fala.

Além disso, lembre-se de não levar insultos e reclamações para o lado pessoal. Idosos costumam ser solitários e pode ser que, no momento, você seja a única pessoa disponível para que ele desabafe ou desconte suas frustrações. Quando você não leva para o pessoal, consegue se afastar da situação e avaliar melhor os problemas e soluções.

Esteja presente

Os pais costumam ficar mais carentes quando os filhos já são adultos e independentes. Por causa disso, tendem a cobrar atenção de formas diferentes, inclusive sendo teimosos, para demonstrar sua própria independência.

Uma forma de sanar essa carência é se fazendo presente, convidando o idoso para realizarem atividades juntos, mesmo as mais simples, como cozinhar ou fazer compras. Jogos de tabuleiro ou baralho também são uma opção para um filho demonstrar afeto e zelo ao idoso, retribuindo o que foi recebido ao longo dos anos.

A presença de familiares e pessoas queridas é o melhor remédio contra a solidão da velhice e, quando ela não pode ser física, é válida mesmo por meio de telefonemas diários, com diálogos atenciosos e interessantes. Quando a pessoa idosa se sente querida, crescem as chances de que ela seja menos teimosa e ranzinza, tornando-se mais compreensiva e cordial.

Esperamos que essas dicas práticas de como lidar com idosos teimosos contribuam para relacionamentos mais tranquilos, regados por paciência e bom humor.

Tem mais alguma dica sobre o assunto de acordo com suas experiências? Compartilhe conosco no espaço para comentários!

Escrito por:

Marcus Vinicius Zorub Montanha – Diretor Técnico

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link