Conheça os cuidados que devem ser tomados com a alimentação do idoso

Compartilhe este Post

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Ter hábitos alimentares saudáveis é fundamental em qualquer idade. Os alimentos certos podem ajudar a ter mais saúde e bem-estar e aumentar a expectativa e a qualidade de vida. No entanto, isso é ainda mais importante acima dos 60 anos, daí a necessidade de atenção especial com a alimentação do idoso.

A partir dos 50 anos, o corpo humano deixa de produzir alguns hormônios, como estrogênio e testosterona. Isso contribui para o ganho de peso e a perda de massa muscular. Ainda que natural, esse acúmulo de gordura contribui para a ocorrência de doenças como a hipertensão arterial, colesterol alto, diabetes e sobrepeso.

Sendo assim, tanto os cuidadores como os próprios idosos devem atentar para a alimentação constantemente. Entre outros cuidados, ela deve ser balanceada e preparada para facilitar a refeição.

Mas o que, de fato, não deve faltar na alimentação do idoso? O que pode ser feito para ajudá-los? Continue a leitura do post e veja todas as nossas dicas!

Quais alimentos precisam fazer parte da dieta do idoso?

A alimentação do idoso deve ser bem variada, colorida e nutritiva. Alguns nutrientes são essenciais nessa faixa etária e, por isso, têm que ser destacados. Por exemplo, o ferro presente na carne vermelha, no feijão e em vegetais de folhas escuras (couve, rúcula, agrião, entre outros) ajuda a evitar a anemia.

A vitamina C é importante para aumentar a imunidade e contribui para a absorção de ferro. Ela está presente, principalmente, em frutas cítricas, como limão, laranja e acerola. Já a vitamina A também protege o sistema imune do idoso e ajuda a fortalecer a pele, as unhas e o cabelo, que são bem mais frágeis nessa idade. Pode ser encontrada nos vegetais amarelo-alaranjados, como a cenoura e a abóbora.

O consumo de alguns alimentos, como os peixes, as sementes oleaginosas (chia, linhaça etc.), o azeite e a gema de ovo, é importante por eles conterem gorduras saudáveis, como os ômegas 3, 6 e 9. Essas substâncias ajudam a melhorar a atividade cerebral, evitando doenças como o Alzheimer e o Parkinson.

No entanto, as necessidades de proteínas, lipídeos e carboidratos não são tão diferentes das de pessoas mais jovens. O fato é que a quantidade desses nutrientes varia muito de acordo com o metabolismo de cada um e com condições fisiológicas, como a prática de atividades físicas e a presença de doenças como o diabetes.

Por exemplo, enquanto um atleta tem alto gasto calórico, precisando consumir mais carboidratos, uma pessoa com diabetes deve ingerir menos esse nutriente. Por isso, é fundamental consultar um médico e um nutricionista para avaliar as necessidades específicas, sobretudo no caso dos idosos.

Os grupos alimentares que não podem faltar na alimentação do idoso:

  • vegetais e cereais integrais: são fontes de fibras, que ajudam a evitar doenças cardiovasculares, o diabetes e a prisão de ventre;
  • leite e derivados, como queijo e iogurte: contêm proteínas, potássio e vitamina B12, que ajudam a constituição muscular, além de cálcio e vitamina D, que fortalecem ossos e articulações;
  • ovos e carnes magras: são ricos em aminoácidos essenciais e ferro;
  • pães e massas integrais: são boas fontes de energia e fibras;
  • leguminosas, como feijão, ervilha e lentilha: contêm muitas fibras e são ricas em proteínas, sendo boas substitutas para as carnes.

O que não deve fazer parte da alimentação do idoso?

Mesmo que seja importante consumir leite e seus derivados, é necessário ter cautela no caso de problemas gastrointestinais, como a intolerância à lactose e a gastrite. Assim, deve-se buscar outras fontes, como os vegetais verde-escuros e as leguminosas.

Devem ser evitados alimentos industrializados, como embutidos e conservas. Eles contêm muito sódio, que aumenta a pressão arterial, podendo levar a problemas cardiovasculares, hipertensão, retenção de líquidos e sensação de inchaço. O melhor é preferir alimentos frescos e preparados em casa.

Também não é bom consumir alimentos que contenham farinha e arroz branco e açúcar, por serem de difícil digestão e contribuírem para a ocorrência de diabetes.

Quais são os melhores horários para as refeições?

A alimentação do idoso deve acontecer em intervalos de cerca de 3 horas, em pequenas quantidades. Isso ajuda na digestão e no metabolismo, que costumam ser mais lentos nessa idade. Ou seja, devem ser feitas cerca de 5 refeições balanceadas diariamente.

Outro detalhe importante é que o idoso não deve se alimentar pouco antes de dormir, pois isso pode prejudicar o sono. O ideal é que haja um intervalo de 3 horas depois da última refeição do dia. Esta também deve ser mais leve, como sopas de legumes e frutas, que ajudam a ter uma noite mais tranquila.

Já o café da manhã precisa ser reforçado, para fazer um desjejum adequado. Por isso, é importante consumir leite, pães integrais e ovos.

Quais cuidados devem ser tomados com os alimentos?

Além da escolha dos alimentos certos, é necessário que eles sejam preparados de maneira adequada. Confira algumas dicas a seguir:

  • para facilitar a mastigação, prefira servir alimentos cozidos e em pedaços pequenos;
  • adote o hábito de fazer as refeições em família, estimulando o hábito de comer;
  • o ambiente deve ser calmo e bem iluminado, para ajudar na refeição;
  • quando a pessoa estiver acamada ou com dificuldade de mastigar, prefira alimentos pastosos ou líquidos;
  • é preciso colocá-lo em uma posição confortável, que facilite o movimento dos braços;
  • os alimentos devem ser atraentes e saborosos, visto que se perde uma parte do paladar nessa idade.

Por fim, mesmo que não seja um alimento, é fundamental ingerir uma boa quantidade de água, pura ou na forma de sucos e sopas. É recomendado cerca de 1,5 a 2 litros por dia, pois ela ajuda a equilibrar as funções do organismo e controlar a temperatura, atuando na digestão e na hidratação de modo geral.

A alimentação do idoso deve estar inserida em uma rotina de cuidados, que envolvem o banho, as atividades físicas e o lazer. Quando essas tarefas são muito difíceis de serem realizadas pelos familiares, existem empresas que oferecem serviços especiais para a terceira idade, inclusive a preparação de alimentos.

O que achou de saber sobre os cuidados com a alimentação do idoso? Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas.

Escrito por:

Marcus Vinicius Zorub Montanha – Diretor Técnico

Conte-nos o que achou

Descubra muito mais

Nossa equipe de especialistas em cuidados com idosos prepararam posts com orientações, informações e curiosidades sobre diversos assuntos.

Ligue já e solicite seu orçamento

Temos certeza que podemos lhe ajudar, por gentileza entre em contato.

Possuimos uma ampla experiência com cuidadores de idosos em domicílio. Focada no gerenciamento de profissionais cuidadores e na saúde da pessoa assistida, nos tornamos referência no que fazemos.

Copyright ©2021 – GUARDIOES DE VIDAS ASSITENCIA A SAUDE LTDA – CNPJ: 01.866.035/0001-70
Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Denis Almeida