0

Fraturas ósseas são muito comuns em pessoas idosas e muitas necessitam de intervenções cirúrgicas. Quando se fala no assunto, imediatamente já pensamos no processo de recuperação, momento crucial para garantir o bom resultado do procedimento.

Principalmente em se tratando de uma cirurgia de fêmur em idosos, para quem mais cuidado é exigido diante de sua vulnerabilidade. Além das fraturas acontecerem com mais frequência entre esse público, os riscos também são maiores.

Então, quer saber os principais cuidados no pós-operatório de um idoso? Como evitar maiores complicações nesse processo de recuperação? Confira este post, ele foi preparado para você.

Por que os idosos são mais propensos à fratura de fêmur?

A lesão que ocorre nessa região está diretamente relacionada com a fragilidade do organismo e a osteoporose, uma doença muito presente na vida dos idosos. Também está ligada a traumas simples na terceira idade e às quedas, apontadas como o principal gatilho das fraturas ósseas nessa fase da vida.

O fêmur é um dos principais ossos do corpo, responsável por fazer a conexão da bacia ao joelho, possibilitando movimentos simples, porém da maior relevância para o desenvolvimento da vida humana. Exemplos de sua importante funcionalidade são: andar, subir e descer escadas, correr e sentar. Uma vez fraturado, o paciente pode sofrer grandes limitações e, na grande maioria, ficar acamado, o que desencadeia outros agravantes:

  • comprometimento de suas funções vitais;

  • perda da massa muscular e atrofia, inclusive, a responsável pela respiração;

  • motilidade intestinal débil, que deixa o paciente constipado;

  • perda progressiva da capacidade respiratória;

  • perda dos movimentos, da função gastrointestinal, colocando o idoso em um estado limítrofe de vida;

  • a pele mais fina e sensível provoca escaras cutâneas (ferimentos que podem infeccionar com germes altamente virulentos).

Como é processo de recuperação de cirurgias em idosos?

Entende-se que o avançar da idade, o processo degenerativo, as fraquezas inerentes da terceira idade, além de outras patologias ligadas à vida do idoso dificultam o processo de recuperação cirúrgica de um idoso, uma vez que o seu estado se torna bastante vulnerável.

Tempo de recuperação

Sem dúvida é maior, pelo simples fato de o idoso ter a saúde naturalmente mais vulnerável. Em alguns casos, a recuperação não acontece totalmente e em outros há muita demora para se restabelecer. A sua incapacidade funcional, a fragilidade e a restrição da mobilidade ocasionada pela fratura podem oferecer complicações, como úlceras por pressão, problemas respiratórios e urinários. Por isso, a cirurgia de fêmur em idosos precisa de atenção especial.

Risco de infecção hospitalar

Paciente idoso que precisa se submeter a uma internação por causa de uma fratura pode contrair infecção hospitalar com mais facilidade. Isso ocorre devido à dificuldade de poder usar antibióticos em tecido ósseo e à necessidade de repetidas intervenções, como a retirada da prótese.

A incidência é grande em idosos que já apresentem focos de infecção em outros locais, como dentes, pele, trato respiratório e urinário. Entre os cuidados preventivos, uma avaliação pré-operatória é imprescindível para descartar essas possíveis complicações.

Problemas da falta de mobilidade

A fratura em locais como coluna, fêmur e quadril pode impedir o paciente de se locomover no período de recuperação ou prejudicar essa mobilidade de maneira crônica. Isso pode deixar os ossos ainda mais frágeis e com grande probabilidade de novas fraturas, perda da independência, dor crônica, restrições sociais e isolamento.

A mudança sobre a qualidade de vida pode ser devastadora e pode, inclusive, desencadear complicações de fundo psicológico, como depressão e perda de autoestima. Diante desse quadro, o acompanhamento torna-se necessário, principalmente porque o idoso pode não demonstrar ou não se queixar dos sintomas e complicações, impedindo o diagnóstico e o tratamento adequado.

Cirurgia de fêmur em idosos, quais os principais cuidados?

A meta básica da assistência pós-operatória é possibilitar ao idoso condições de se levantar e se mover o mais rapidamente possível. A fixação interna do local de fratura permite movimentação e sustentação de peso precoce no membro envolvido, o que minimiza as complicações do repouso no leito, atrofia muscular, edema, osteoporose e contraturas de tecido mole.

Ao se levantar de uma cama baixa, o paciente em recuperação deve:

  • usar sempre o membro inferior não lesionado para apoio;

  • procurar sentar em cadeiras altas com as pernas abertas;

  • ao usar o sanitário, não curvar o corpo para frente;

  • deitar de lado;

  • usar um travesseiro entre as pernas;

  • não calçar meias sozinho.

A prática de exercícios deve acontecer desde o primeiro dia. O paciente pode sentar-se na cama ou poltrona. Ele deve aprender a realizar os exercícios respiratórios, ser encorajado a levantar sozinho e começar a andar o mais cedo possível. É sempre recomendado ter alguém que saiba da importância dos cuidados para a recuperação mais rápida.

É importante ressaltar também, que os cuidados pós-operatórios não são necessários somente para a recuperação da lesão, mas principalmente para evitar complicações cardíacas, trombose venosa profunda e embolia pulmonar, entre outros problemas que poderão dificultar a saúde do idoso.

A fisioterapia home care é importante para o idoso?

Sem dúvida nenhuma, a fisioterapia é uma das possibilidades de tratamento fundamental no processo de recuperação cirúrgica. A modalidade home care é mais viável no caso do idoso, uma vez que as suas limitações e fragilidades dificultam a sua locomoção. O uso do home care tem aumentado significativamente no Brasil pelo bom serviço prestado por profissionais capacitados e bem preparados para lidar com as diversas necessidades dos idosos de forma prática.

O fisioterapeuta home care trabalha para que a recuperação do paciente ocorra de forma mais rápida por meio de um serviço individualizado, com um acolhimento voltado para as suas necessidades. A prática é desenvolvida com técnicas para tratamentos inovadores e profissionais habilitados. O objetivo é promover bem-estar, resgatar a autoestima e melhorar a qualidade de vida do idoso, bem como trazer mais segurança e tranquilidade para o familiar.

Ao longo do texto, foram apresentadas informações com o intuito de preparar você para cuidar da recuperação de uma cirurgia de fêmur em idosos com mais conhecimento e segurança. Em se tratando de um tema de extrema importância para todos nós, vale a pena investir em o seu conhecimento e ficar sempre bem informado sobre todas as inovações.

Então, gostou do material? Contribuiu de alguma forma com o seu momento?  Gostaria de aprofundar um pouco mais sobre esse tema? Que tal entrar contato com a nossa empresa? Será um prazer oferecer mais informações.

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link