0

A busca por mais qualidade de vida é uma constante no dia a dia de pessoas de todas as idades. Estamos sempre procurando novas formas de viver melhor e cada vez mais — e estamos conseguindo!

De acordo com projeções das Nações Unidas, 1 em cada 9 habitante do mundo tem mais de 60 anos. Só no Brasil, a população de idosos já soma 23,5 milhões de pessoas e segue crescendo acima da média mundial, segundo dados do IBGE.

Dessa forma, o nosso questionamento para garantir mais bem-estar para nós e para as pessoas que amamos em um futuro longo e próspero é: como oferecer mais qualidade de vida para idosos?

Confira algumas dicas fáceis de pôr em prática e comece agora mesmo!

Contato com a família

Estar em contato com os familiares, além de amigos e pessoas queridas, faz qualquer um mais feliz, não é verdade? Já existem comprovações científicas de que essa convivência é benéfica para a saúde e até aumentam a longevidade.

Outros estudos apontam que a união de gerações diferentes, como avós com seus netos e bisnetos de variadas idades, também gera benefícios para todos os envolvidos, mas principalmente os mais velhos.

Por isso, não deixe que ninguém da família poupe carinhos aos idosos. Estimule a convivência e a integração social em casa, leve as crianças para visitar os avós frequentemente e faça atividades em que todos possam participar, como passeios ao ar livre, uma refeição gostosa ou até mesmo um filme, um jogo de tabuleiro ou de cartas.

Atividades que estimulem o raciocínio do idoso também são muito bem-vindas, como ensinar uma receita tradicional para um membro mais jovem da família. Além de ativar o cérebro, esses momentos fazem a pessoa mais velha se sentir útil e mais valorizada, percebendo que ainda tem muito a ensinar.

Alimentação adequada

Essa é mais uma dica que é válida para as pessoas de todas as idades, mas que merece ainda mais atenção à medida que o tempo avança. Afinal, com o passar dos anos, é comum que o corpo não responda mais da mesma forma aos velhos exageros e apresente algumas alterações.

Muitas delas, geralmente, são até mesmo esperadas e podem ser controladas com acompanhamento médico, como hipertensão (pressão alta), triglicerídeos altos (excesso de gordura), diabetes (excesso de açúcar no sangue), problemas circulatórios ou respiratórios.

A boa notícia é que grande parte desses perigos comuns à terceira idade podem ser amenizados com uma alimentação mais saudável, rica em frutas, legumes e verduras e com restrições de gorduras, açúcares e outros vilões, como os alimentos industrializados.

Algumas dietas, além de fazerem bem aos idosos, são indicadas para quem busca uma vida mais longa e com mais qualidade. É o caso da dieta mediterrânea, que está fazendo sucesso no mundo inteiro e consiste no equilíbrio entre os hortifrutis, os cereais, as leguminosas e os peixes, sempre regados a azeite extra virgem de qualidade ímpar, além de um pouco de vinho.

Atividades físicas

Não importa a idade do corpo, ele não foi feito para ficar parado. Infelizmente, por falta de tempo ou de condições, os idosos têm ficado cada vez mais sedentários, o que tende a piorar sua saúde rapidamente.

Se você cuida de um idoso e ele tem capacidade de sair (nem que seja por alguns minutos) para tomar sol, por exemplo, incentive-o e reserve alguns minutos do seu dia para acompanhá-lo. O ar livre, a brisa no rosto e próprio sol (estimulante natural da vitamina D) fazem bem para vocês dois, que ainda podem aproveitar o passeio para conversar, se divertir e se aproximar ainda mais.

Outras atividades físicas recomendadas para as pessoas da terceira idade são a hidroginástica e a natação, o pilates e a dança. É claro que existem velhinhos e velhinhos, e atualmente muitos deles praticam musculação, corrida e até surfam! Tudo depende do preparo físico e da disposição da pessoa, que deve ser sempre respeitada.

Lembre-se que além de proporcionar vários benefícios físicos (combate à obesidade e diabetes, diminuição de riscos de quedas e fraturas, redução da perda de massa óssea e de dores de artrose, artrite e coluna, entre tantos outros), os exercícios são importantes para o bem estar e a autoestima do idoso. Afinal, a prática das atividades aumenta a autonomia e a independência pessoal, promove a sociabilidade e diminui problemas como a depressão e a ansiedade.

Espaço para a fé

Seja qual for a sua religião (ou se você não tiver nenhuma), é fundamental respeitar as crenças dos idosos. Isso porque muitos deles encontram na fé e na religião uma base sólida para o seu equilíbrio emocional, conforto para as suas angústias e aceitação dos próprios limites.

As pessoas mais velhas, muitas vezes, gostam de praticar a caridade e a solidariedade, por menores que sejam seus atos. Não deixe de incentivar essas ações que as fazem se sentir bem. Muito pelo contrário: se você puder, participe! Organize um mutirões de doações para creches ou asilos da cidade, ajude em alguma atividade que o idoso esteja fazendo ou dê uma carona até a igreja.

Além de fazer bem para ele e para as pessoas que serão diretamente ajudadas, você verá o quanto a sua participação será benéfica para você também.

Mente ocupada

Muitos idosos, já aposentados e sem muitas obrigações com a família e com as atividades corriqueiras, acabam tendo bastante tempo livre e podem passar os dias sem fazer nada, o que é extremamente prejudicial para a saúde física e, principalmente, mental.

Se a pessoa de quem você cuida costumava ter um hobby quando era mais jovem, como cultivar plantas ou fazer artesanato, incentive-a a resgatar esses velhos hábitos. O senso de responsabilidade de cuidar das plantinhas ou dos animais, por exemplo, faz muito bem para a sua autonomia, e ver as suas obras de arte pela casa (ou presentear uma pessoa querida) vai enchê-la de orgulho e autoestima.

Estimular o cérebro também é fundamental na terceira idade para evitar as tão comuns falhas na memória e até mesmo degenerações mais sérias. Boas atividades para manter a mente ativa são a leitura, os estudos (existem muitos idosos realizando o sonho de frequentar a faculdade), ou brincadeiras mais leves, como quebra-cabeças, caça-palavras e jogo de baralho.

São muitas as opções e atividades que podem aumentar a qualidade de vida para idosos. E o melhor: todas elas aumentam, também, a sua qualidade de vida e podem ser realizadas em parceria com toda a família. Os benefícios físicos e emocionais serão notados por todos os envolvidos, que consequentemente terão uma vida mais longa e feliz.

Gostou das dicas e está pronto para praticá-las? Se você quiser saber mais sobre cuidados com idosos e receber nossos conteúdos diretamente no seu e-mail, assine a nossa newsletter!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta