0

A queda de idosos é um dos principais problemas da terceira idade. As causas são diversas e as consequências podem ser complexas e afetarem permanentemente a qualidade de vida dessas pessoas.

Além disso, os custos com o tratamento e recuperação das lesões decorrentes das quedas se relacionam nos aspectos clínicos, emocionais e financeiros, impactando significativamente na estrutura social e familiar.

Em alguns casos é necessário o suporte por meio dos cuidados de idosos que ajudarão na recuperação das lesões e no retorno às atividades diárias.

Portanto, é fundamental que os pacientes idosos recebam orientações sobre os riscos de quedas e a família pense em estratégias para prevenir esses problemas no ambiente domiciliar.

Quer saber como evitar quedas de idosos? Então fique por aqui e confira as nossas 6 dicas feitas especialmente para este artigo. Boa leitura!

1. Atente-se para a decoração da casa

Em um ambiente em que residem idosos, é preciso ter cuidados para evitar itens decorativos que possam configurar perigo no cotidiano. Além dessas precauções, é interessante também investir em adornos mais seguros.

Sendo assim, tapetes estendidos nas salas podem propiciar acidentes domésticos por serem escorregadios demais. Assim como vasilhames de material quebrável expostos sob o forro de mesa também são perigosos.

Dessa forma, é fundamental adaptar o ambiente com a decoração mais “clean” e com menos apetrechos que possam atrapalhar a rotina dos idosos em casa. Estruturas localizadas no chão ou brinquedos espalhados pelos cômodos também precisam ser evitados.

Além disso, é interessante proteger quinas dos móveis para diminuir o risco de esbarrões. Nos banheiros, é recomendável o uso de cadeiras de banho ou ampliação da área de higienização para facilitar o trânsito de cadeira de rodas.

2. Deixe a cozinha mais segura para os idosos

A cozinha é apontada com um dos ambientes de maior índice de acidentes domésticos. Isso porque são armazenados objetos perfurocortantes, bem como existe a probabilidade de iniciar um problema que pode propagar para os demais cômodos, como vazamento de gás e incêndios.

Por isso é fundamental proteger as pontas das facas e mantê-las em gavetas com pouca utilidade. Outros itens, como copos de vidro, pratos e talheres devem ser dispostos em armários situados na altura da visão para evitar esforços ao buscá-los.

Outra dica importante é a avaliação da utilização do fogão. Desse modo é imprescindível observar o tempo de cozimento dos alimentos e evitar se distanciar demais da cozinha nessas situações.

3. Escolha roupas confortáveis nessa idade

A terceira idade é um período com uma diversidade de pessoas em diferentes condições físicas. Enquanto alguns indivíduos são praticantes assíduos de atividade física, outros são completamente dependentes de seus familiares.

Apesar desse cenário, é crucial oferecer alternativas para melhorar a qualidade de vida dos idosos e proporcionar momentos de descontração e lazer em um ambiente aconchegante e seguro.

Nesse sentido, é interessante escolher roupas confortáveis para as atividades diárias considerando o clima da região, as preferências pessoais, o custo das peças de roupas e alguma especificidade do idoso.

Pessoas que moram em ambientes mais frios devem considerar o uso de climatizador para evitar a desidratação excessiva na pele. Já em lugares mais quentes, o uso de ventiladores e circuladores de ar devem ser estratégia para abarcar todos os indivíduos da sala.

Desse modo é interessante selecionar roupas com tecidos “respiráveis” em dias quentes, como calças de malha. Para o conforto dos pés, são indicados os calçados ortopédicos, sandálias com salto baixo ou tênis. Para aqueles que preferem os chinelos, é preciso analisar o piso e o material do pisante para prevenir quedas constantes.

4. Oriente sobre a realização de exames periódicos

Com o envelhecimento, é natural a perda e pouca renovação das células que são responsáveis pelo funcionamento do organismo. Enquanto para alguns indivíduos a acuidade visual é o maior problema, para outros a audição é o complicador.

Dessa maneira é aconselhável que os idosos façam exames periódicos para avaliar a funcionalidade desses sentidos e tomem medidas terapêuticas eficazes para diminuir a progressão dos problemas.

Isso é essencial porque a baixa visão ou diminuição da audição podem contribuir diretamente para quedas e acidentes domésticos que, em alguns casos, podem gerar condições clínicas permanentes e afetar significativamente a qualidade de vida da pessoa.

A avaliação das condições de saúde dos idosos perpassa pelo levantamento dos fatores de riscos para o desenvolvimento de doenças e instituição de exercícios que mantenham o cérebro ativo.

5. Incentive o fortalecimento dos músculos

A velhice implica em enfraquecimento gradual do sistema ósseo, sendo que a interrupção hormonal é um dos principais fatores para essa situação. Todavia, alguns cuidados devem ser tomados mediante essa condição.

Um deles é manter a atividade física periódica e conforme a capacidade do idoso. Atividades aeróbicas são essenciais para manter a vitalidade e disposição, e as anaeróbicas ajudam no fortalecimento e equilíbrio postural.

Além disso, devido à dificuldade de deslocamento dos indivíduos é possível realizar exercícios físicos acompanhados por um profissional clínico no ambiente domiciliar, o que facilita enormemente a rotina de todos.

6. Mantenha uma alimentação saudável

Uma alimentação balanceada e condizente com as necessidades calóricas do idoso é um requisito importante para manter a disposição do dia a dia. Sendo assim, é crucial equilibrar adequadamente a ingestão alimentar.

Nesse sentido, alimentos energéticos e reguladores devem constar no cardápio de forma variada, prática e gostosa para estimular a ingestão desses microcomponentes. Desse modo, deve-se ressaltar que o arroz com feijão pode ser feito de forma diferente para estimular o paladar dos idosos.

Outros componentes devem estar na alimentação diária, tais como vitaminais, sais minerais e fibras solúveis, conforme as necessidades individuais. Além disso, deve-se estimular o consumo frequente de água, para não danificar os rins.

As quedas de idosos precisam ser tratadas no contexto multidisciplinar e com o apoio da família e amigos. Isso porque cada profissional dará dicas essenciais para impedir esse acontecimento, cabendo aos familiares a sua implantação. Sendo assim, a decoração da casa deve ser modificada, bem como os comportamentos em prol da saúde física e emocional para não gerar danos maiores.

E você, gostou das nossas dicas? Ainda tem dúvidas sobre esse tema? Então não deixe de ler também nosso post sobre como lidar com um idoso doente em casa.

Escrito por:

Marcus Vinicius Zorub Montanha – Diretor Técnico

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta